Funcab: conheça o perfil da banca organizadora - Portal de notícias CERS

Funcab: conheça o perfil da banca organizadora

Por:
Atualizado em 03/02/2017 - 17:14

funcab-banca-organizadoraA Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab) promove diversos projetos educacionais e sociais em parceria com órgãos públicos e privados. Entre eles, elabora materiais técnico-pedagógicos e aplica concursos em todo o Brasil.

A banca organizadora é conhecida pela realização de certames municipais e estaduais, está sempre atenta aos detalhes e possui credibilidade no mercado. Confira alguns concursos em andamento:

PARÁ: Polícia Civil do Estado – Delegado (2016)

ACRE: Polícia Civil – Perito/Médico Legista (2015)

ESPÍRITO SANTO: Companhia Docas Do Espírito Santo – Codesa (2015) e Prefeitura de Serra/ES – Agente Comunitário De Segurança (2015)

FEDERAL: Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Agência Nacional de Saúde (ANS)

 

Confira algumas características do estilo de prova aplicada em concursos organizados pela Funcab:

dica As provas objetivas são de múltipla escolha e costumam respeitar o conteúdo programático proposto no edital.

 

dica Os textos possuem um perfil interpretativo, com o uso de imagens, e linguagem própria. Fazer questões de provas anteriores é fundamental para entender como a banca se expressa.

dica Os certames aplicados pela Funcab são de complexidade relativamente baixa à mediana, valorizando a memorização. As disciplinas de Direito, por exemplo, sem baseiam na letra da lei.

dica A facilidade de resolução da prova se contrapõe com o número elevado de aproximadamente 100 questões. Neste caso, saber controlar o tempo é fator determinante para o candidato.

dica Além do conhecimento, o candidato pode contar com o bom senso para eliminar vários itens da questão antes de escolher a resposta. Isso torna a prova menos pesada.

dica No entanto, é essencial que o candidato saiba interpretar e compreender o enunciado de cada questão, para reduzir as chances de se confundir com alternativas parecidas e ambíguas.

 

Questão: estilo Funcab

[Direito Civil] Sobre o negócio jurídico, é correto afirmar que o(a):

  a) negócio jurídico anulável pode ser confirmado pelas partes, mesmo que envolva direito de terceiro.

  b) prazo de decadência para se pleitear a anulação do negócio jurídico é de três anos.

  c) anulabilidade negócio jurídico pode ser pronunciada de ofício pelo juiz.

  d) negócio jurídico simulado e nulo subsistindo o que se simulou desde que válido na forma e na substância.

  e) negócio jurídico nulo pode ser confirmado pelo decurso do tempo.

 

[Português] Texto para responder à questão:   

Não são só ladrões os que roubam bolsas ou espreitam os que se vão banhar, para lhes colher a roupa; os ladrões, que mais própria ou dignamente merecem este título, são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com manha, já com força, roubam e despojam os povos. Os outros ladrões roubam um homem, estes roubam cidades e reinos; os outros furtam debaixo do seu risco, estes sem temor, nem perigo; os outros, se furtam, são enforcados; estes furtam e enforcam. Diógenes, que tudo via com mais aguda vista que os outros homens, viu que uma grande tropa de varas e ministros de justiça levavam a enforcar uns ladrões, e começou a bradar: “Lá vão os ladrões grandes enforcar os pequenos…" Ditosa a Grécia, que tinha tal pregador! E mais ditosas as outras nações, se nelas não padecera a justiça as mesmas afrontas. Quantas vezes se viu em Roma ir a enforcar um ladrão por ter furtado um carneiro, e no mesmo dia ser levado em triunfo um cônsul, um ditador por ter roubado uma província! E quantos ladrões teriam enforcado estes mesmos ladrões triunfantes? De um chamado Seronato disse com discreta contraposição Sidônio Apolinar: Non cessat simul furta, vel punire, vel facere. Seronato está sempre ocupado em duas coisas: em castigar furtos, e em os fazer. Isto não era zelo de justiça, senão inveja. Queria tirar os ladrões do mundo, para roubar ele só.

VIEIRA, Antônio. Sermões. In: MOTTA, Dantas. Primeira epistola de Jm. Jzé. da Sva. Xer. – o Tiradentes – aos ladrões ricos. Rio: Civilização Brasileira, 1967, p. s/n°

 

Constitui um equívoco de leitura supor que o pronome em destaque se refere ao elemento do texto indicado em:

  a) para LHES colhera roupa/ os que se vão banhar.

  b) e em OS fazer/ furtos.

  c) se nELAS não padecera/ as outras nações.

  d) os QUE roubam bolsas / ladroes.

  e) furtam debaixo SEU risco/ os outros.

 

Leia também:

Como estudar para prova do Cespe

Conheça o perfil da banca examinadora Cetro Concursos

IBFC: conheça o perfil da banca organizadora

 

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS