8 dicas para fazer uma boa prova discursiva - Notícias CERS

8 dicas para fazer uma boa prova discursiva

Confira nossas dicas para obter o melhor desempenho na etapa discursiva

Equipe de Comunicação
Por:
Atualizado em 25/03/2020 - 10:36
2-FASE-CONCURSO

A grande maioria das provas de 2ª fase costuma conter questões discursivas e elaboração de peças. A questão prática pode ser peça processual, parecer, sentença, estudo de caso ou redação.

A segunda fase é uma etapa muito temida pelos concurseiros, pois conta com respostas em formato discursivo. Isto exige um conhecimento aprofundado do edital, assim como, estratégias para finalizar a avaliação em tempo hábil.

Logo, é preciso dedicar parte do tempo ao estudo direcionado à esse tipo de prova.

Confira abaixo 8 macetes para as provas discursivas de concursos públicos e saia na frente!

1. Atenção aos enunciados

Saber ler os enunciados de forma assertiva é uma chave para a aprovação. Muitas vezes, a banca do concurso insiste em enunciados gigantescos apenas para desviar a atenção, gerando cansaço.

Busque grifar as palavras-chave dos enunciados. Também é válido escrever ao lado quando surgirem assuntos relacionados, que serão essenciais para respondê-lo.

Além disso, em questões com vários itens, é importante que o candidato leia com atenção todas as assertivas antes de começar a responder. Muitas vezes, uma resposta elimina ou complementa a outra.

2. Assertividade na resposta

A prova de segunda fase requer objetividade e assertividade na resposta. É possível até produzir uma pequena introdução à questão, antes de ir para o seu foco. Porém, o aconselhável é ir direto ao ponto.

Ao analisar o “espelho de resposta” disponibilizado pelas bancas, é possível perceber quais tópicos geram maior pontuação. Esta análise poderá ajudar o candidato a tornar suas respostas mais objetivas.

3. Atenção na hora de escrever

A resposta das questões deve ser transcrita à caneta (azul ou preta, a depender da exigência de cada edital).

Se o candidato cometer algum erro, basta fazer um traço simples e escrever a palavra certa ao lado. Não é permitido o uso de corretivo.

Tente manter a linha de raciocínio durante toda a resposta, de forma que a leitura seja fácil para quem está corrigindo. Ao finalizar a escrita, revise o texto para checar se há algum erro que passou despercebido.

4. Separe as questões de acordo com o nível de dificuldade

Numa prova discursiva é necessário saber gerir o tempo, visto que, muitas questões exigem respostas aprofundadas. Para conseguir responder todas as questões, é ideal que as sinalize de acordo com o nível de dificuldade (fácil, média, difícil). Desta forma, pode-se estabelecer o melhor método, escolhendo qual questão resolver primeiro.

Dica: Iniciar pelas questões que se tem mais facilidade garante que seu psicológico esteja mais tranquilo para resolver as difíceis ao final.

5. Fundamente sua resposta

O examinador espera que o candidato, mesmo que em poucas linhas, fundamente sua resposta com base na lei, na doutrina e na jurisprudência. Este é um dos quesitos que oferecem maior pontuação nos certames.

É ideal que seja apontado não apenas o que é informado em lei, mas se existe algum entendimento doutrinário ou jurisprudencial sobre o tema.

Se tiver acesso à legislação, busque sempre relacionar um artigo ou súmula ao tema exigido na resposta. Não transcreva o texto da lei, tente adaptá-lo às suas palavras.

6. Esteja atualizado às regras gramaticais

O aspecto gramatical sempre será importante numa prova de segunda fase. Muitas bancas costumam tirar pontos dos candidatos que apresentam respostas com erros gramaticais. Este ponto é agravado, pois muitos ainda não estão acostumados às novas regras de ortografia.

Logo, estar a par das regras gramaticais é um diferencial para o candidato.

7. Preocupe-se com a caligrafia

Além de preocupar-se com o conteúdo do texto, deve-se atentar à caligrafia. O candidato poderá deixar de ganhar pontos por sua letra ser ilegível.

Uma boa dica é pedir para alguém ler seus textos e apontar os defeitos de sua caligrafia. Na dúvida, opte por letra de forma.

Para o examinador, o texto ideal é aquele em que a leitura é fluida, sem pausas para tentar identificar qual palavra foi escrita.

8. Treine simulando o dia da prova

Faça treinos simulados de redação, peças e questões discursivas. Considere a mesma quantidade de tempo e consulta à legislação que o certame oferece.

Afaste-se do rascunho. Treine para que no dia da prova você tenha segurança para escrever diretamente na folha de resposta. Transcrever o texto do rascunho tomará bastante tempo e corre-se o risco de não finalizar tempestivamente.

O indicado é que, na folha de rascunho, o candidato liste os tópicos a serem abordados na questão/redação/peça, anotando ao lado as leis, doutrinas, jurisprudências, súmulas, etc correlacionadas.

 

Esperamos que essas dicas auxiliem de alguma maneira os seus estudos. Mas não esqueça: quem chega à segunda etapa de um certame tem um grande conhecimento jurídico. Basta intensificar os estudos de maneira adequada e direcionada que você conseguirá alcançar seu objetivo.

Vamos juntos rumo à aprovação!

Tags relacionadas: