Marketing Digital: Descubra o que o Advogado pode e o que não pode fazer! - Notícias CERS

Marketing Digital: Descubra o que o Advogado pode e o que não pode fazer!

Por:
Atualizado em 10/05/2021 - 13:35
Visual law
erros-marketing-juridico

Olá, advogados e advogadas!

 

O boom tecnológico do século 21  trouxe diversas inovações na forma de comunicação e relacionamento entre as pessoas. A internet veio para ficar e revolucionou as interações humanas. Juntamente com ela, nasceu uma nova forma de marketing: o marketing digital, com seus próprios meios de distribuição em massa de conteúdo.

O profissional do século 21 não pode ser alheio a essas inovações. É preciso estar constantemente atualizado e dominar essas ferramentas de interação para conseguir disseminar o seu conhecimento e trabalho. Caso contrário, ele se tornará ultrapassado e obsoleto.

 

1. O Marketing Digital:

O marketing digital é um conjunto de estratégias para anunciar uma marca, serviço ou produto de forma online. Diferentemente do marketing tradicional, o digital tem todos os seus canais e pontos de contato online e métodos que permitem a mensuração dos resultados de uma maneira exata e em tempo real.

Ex.: Um outdoor em uma avenida movimentada não consegue mensurar, efetivamente, quantas pessoas viram o outdoor e quantas tomaram alguma ação baseada naquele anúncio.

Por outro lado, um anúncio online com a mesma arte do outdoor consegue mensurar quantas pessoas viram, por quanto tempo interagiram e quem tomou alguma ação (clicar no anúncio, por exemplo). Além disso, essa pessoa fica marcada como um público que interagiu com o seu anúncio e é possível fazer outro anúncio somente para esse público específico que já demonstrou interesse.

As pessoas estão cada vez mais dependentes da Internet e cada vez mais na internet. Com o advento de dispositivos como smartphones e tablets, esse acesso está disponível a qualquer hora e em qualquer lugar. O consumidor moderno busca tudo na internet. Portanto, o uso do marketing digital é cada vez mais importante para as empresas e profissionais autônomos. 

 

2. Marketing Jurídico Digital:

O marketing digital não é apenas uma estratégia usada para vender ou persuadir, ele vai muito além. Uma das muitas possibilidades é o Marketing Digital para Advogados ou Jurídico, que respeita os valores da profissão, firma o escritório ou o profissional autônomo como uma referência e autoridade em sua área de atuação e o aproxima do seu público-alvo, criando uma régua de relacionamento, através da produção de conteúdo de valor.  

Dessa forma, quando um profissional lida de maneira adequada com o marketing jurídico, também busca sua consolidação como profissional, que pode se tornar uma autoridade em um determinado assunto, estar presente nas redes sociais para interagir mais com os consumidores (relacionamento), atrair novos públicos e outros objetivos. 

O marketing jurídico deve ser exercido sempre em linha com as regras de conduta da OAB, que restringe a gama de opções que o advogado pode utilizar no marketing.

3. Os limites do Marketing Digital para Advogados segundo o código de ética.

O código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil regula a publicidade profissional do advogado em seu capítulo VIII (artigos 39 ao 47), um capítulo inteiro dedicado ao tema. De acordo com o artigo 39:

“A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão.

Esse “caráter meramente informativo” assegura a legalidade de divulgar os serviços de um advogado levando informação ao cliente através de conteúdos, sejam eles publicações em livros, artigos científicos, palestras ou publicações em redes sociais. O que é reiterado pelo artigo 46 do código de ética:

“A publicidade veiculada pela internet ou por outros meios eletrônicos deverá observar as diretrizes estabelecidas neste capítulo. Parágrafo único. A telefonia e a internet podem ser utilizadas como veículo de publicidade, inclusive para o envio de mensagens a destinatários certos, desde que estas não impliquem o oferecimento de serviços ou representem forma de captação de clientela.”

Então, é lícito a publicidade através da telefonia e internet, inclusive com a formação de listas de destinatários certos. Todavia, o conteúdo divulgado não pode ser o oferecimento dos serviços advocatícios.

De uma maneira mais detalhada, não é permitido:

  • Publicação de valores dos serviços ou forma de pagamento;
  • Utilização de meios promocionais;
  • Referência a cargos que tenha exercido;
  • Promessa de resultados;
  • Anúncio em rádio ou televisão;
  • Utilização de “dizeres próprios de atividades comerciais”, como “consulte-nos hoje mesmo”;
  • Uso de fotografias de órgãos públicos;
  • Relação com eventos fora da área jurídica;
  • Estampar nome profissional em objetos como calendário e chaveiros;
  • Enviar mensagens publicitárias pelo celular, assim por diante.

 

Há muitas limitações para o marketing digital para advogados. Apesar de tudo isso, o marketing jurídico pode ser uma alternativa excelente para o crescimento, desde que sigam os princípios éticos e morais estabelecidos pela profissão.

 

4. Estratégias de Marketing Jurídico de acordo com a OAB;

De acordo com os limites do código de ética em mente, é hora de apostar no Inbound Marketing para Advogados e disseminar um conteúdo informativo e orientativo com o objetivo de captar clientes para o escritório de advocacia.

Para explicar o conceito de Inbound Marketing, vamos trazer a citação de Vitor Peçanha, CEO da RockContent, uma autoridade no assunto:

“O Inbound Marketing é um conjunto de estratégias de marketing que se baseia na ideia de criação e compartilhamento de conteúdo voltado para um público-alvo específico, para conquistar a permissão de comunicar com seu potencial cliente de forma direta, criando um relacionamento que pode ser duradouro. Em outras palavras, em vez de interromper os clientes em potencial, a ideia é atraí-lo por meio de conteúdo relevante.

A partir daí, as pessoas impactadas por esse conteúdo tendem a se sentir confiantes a ponto de permitir que a empresa se aproxime mais e, aos poucos, construa um relacionamento saudável que pode resultar na venda. (…)”

O inbound marketing é baseado na reciprocidade, onde o ponto principal é o “dar para receber”. A empresa ou pessoa agregou na vida do seu potencial cliente, dessa forma, baseado na reciprocidade, o potencial cliente sente-se confortável em retribuir, que pode ser comprando seu produto ou serviço, por exemplo.

Separamos aqui 3 maneiras que você pode trabalhar o seu Inbound Marketing de uma forma estratégica:

  • Marketing de Conteúdo;
  • Facebook e Instagram;
  • E-mail Marketing;

O Marketing de conteúdo, nada mais é do que a criação de conteúdo para atrair o cliente até você. Um exemplo claro são os blogs e sites que contém diversas matérias informativas e são públicas.

O Facebook e Instagram podem ser utilizados também como um ponto de contato para criar uma audiência. Ao invés de ter somente um perfil pessoal nessas redes sociais, você pode criar um perfil estratégico e publicar conteúdo nele. Dessa maneira, as pessoas que lhe seguem seriam atraídas pelo conteúdo que o seu perfil tem.

O E-mail Marketing pode ser utilizado para distribuir conteúdo (e-mails informativos) ou como um ponto de contato com sua audiência (uma vez que é permitido a formação de listas de pessoas certas). A lista de pessoas de seu e-mail marketing pode ser formada de diversas maneiras, como blog, instagram ou facebook. Assim, você consegue captar os e-mails dos interessados e estabelecer outro ponto de contato disparando e-mails.

Gostou do conteúdo?

Então você não pode deixar de checar e descobrir se você está inserido na advocacia 4.0!

Vamos juntos!

Tags relacionadas: