Carreiras do Direito: conheça as carreiras para quem é bacharel em Direito - Portal de notícias CERS

Carreiras do Direito: conheça as carreiras para quem é bacharel em Direito

Saiba suas possibilidades e dê um pontapé na sua carreira

Por:
Atualizado em 17/07/2019 - 15:02
CARREIRAS DO DIREITO

O curso de Direito, atualmente, é um dos cursos com maiores concorrentes no vestibular. De acordo com a pesquisa realizada pelo Guia do Estudante, portal de notícias do grupo Abril, às graduações em Direito e Medicina são os que possuem as maiores concorrências em todo o território nacional.

 Atualmente, o Brasil é o país que mais possui faculdades que ofertam a formação em Direito no mundo. São 1.240 cursos superiores só no nosso país, em sentido contrário, existem 1.100 cursos na soma dos outros países, ou seja, a área jurídica é a preferida entre as escolhas dos indivíduos que fazem os vestibulares.

 Esses dados sobre as instituições que ofertam Graduação em Direito, não é à toa, pois, o curso possibilita que o bacharel trabalhe em diversas áreas no setor público ou privado. 

 Nem sempre o estudante sabe todas as possibilidades de carreiras e profissões que o curso de Direito possui. Por isso, listamos as principais carreiras que um bacharel em Direito poderá seguir.

 Docência em Direito

A docência é uma das mais antigas profissões no mundo. A demanda por professores sempre existirá devido a necessidade de transmissores de informações, já que, essa é a forma de passagem de aprendizagem atual.

 As pessoas que atuam nesse ramo podem ministrar aulas em Faculdades, Pós-graduações ou em cursos preparatórios para concursos públicos ou Exame de Ordem da OAB. Para quem deseja seguir essa carreira, deverá possuir diploma de nível superior e, geralmente, as faculdades pedem pós-graduação, mestrado ou doutorado. O subsídio para essa profissão pode ter variações regionais, todavia, o salário inicial é de aproximadamente R$ 4,500, segundo dados do Guia de Carreiras.

 Pesquisador

 Para os que possuem interesse em trabalhar com conhecimento jurídico, o labor do pesquisador é uma opção válida. O foco dessa carreira é desenvolver conhecimento científico, seja para a área educacional ou para empresas do setor privado ou público. 

 Caso você deseje ser pesquisador em Universidades públicas, geralmente, o trabalho também é associado ao de professor, todavia, existe uma maior liberdade de pesquisa, você poderá pesquisar assuntos do seu interesse. No setor privado, o trabalho é exclusivo para pesquisas do interesse da corporação contratante.

 Para traçar o caminho nessa profissão, você deverá possuir formação em curso de nível superior. Se for ser pesquisador na área universitária, é necessário que tenha no seu currículo uma especialização, mestrado ou doutorado. Em sentido diverso, a depender da empresa contratante, no setor privado, não é exigível algumas qualificações profissionais. O salário inicial é de R$ 8.000, podendo existir variações.

 Conciliador

A função de conciliador é fazer com que um problema entre pessoas diferentes não produza um processo no âmbito jurídico. Para isso, usará sua argumentação e oratória para ajudar as partes envolvidas. Que diferente do mediador, o conciliador pode sugerir soluções para a lide.

 Quem deseja exercer essa profissão, trabalhará minimizando e ajudando os indivíduos a chegarem em um acordo em conflitos das mais diversas áreas. Contudo, vale salientar que, não é possível ser conciliador em casos referentes a Lei Maria da Penha.

 Para trabalhar no ramo da conciliação, não é necessário ser bacharel em Direito, no entanto, possuir a formação será um diferencial, o custo de duas horas de trabalho é de aproximadamente R$ 47,00, vale ressaltar que, esse preço poderá ter variações de acordo com o caso ou região. 

Mediador

Diferente do conciliador, o mediador trabalha ajudando as partes a solucionar o dilema através do diálogo. São as partes que devem chegar a uma decisão conjunta do problema, sem interferências do mediador. 

 A mediação, geralmente, é aplicada aos casos em que os indivíduos já possuam um canal de comunicação, por isso, o mediador é usado como uma ponte para fazer que as pessoas conversem e solucionam o conflito entre si. A média de remuneração de horas trabalhadas é de R$ 47,00, podendo ter variações nas diferentes regiões do Brasil.

 Diplomata

Para ser diplomata é necessário realizar um concurso público destinado ao cargo. O trabalho do diplomata será de realização de defesas, apresentações e negócios de interesse do país junto à comunidade internacional.

Vale salientar que, esse tipo de trabalho exige muita dedicação. Quem possuir interesse nessa área de atuação, precisa saber que é necessário ter disponibilidade de 24 horas por dia a serviço da profissão. A faixa salarial é de aproximadamente R$ 15.000.

 Juiz

 Entre as diversas carreiras da área jurídica, a de juiz é uma das mais procuradas. Para possuir o título de juiz, é necessário realizar um concurso público de provas e títulos, comprovar ter, no mínimo, três anos de prática jurídica.

 O cargo possui a aptidão para julgar ações judiciais que são engendradas por conflitos entre pessoas físicas ou jurídicas. Existem diversos concursos para magistratura federal, estadual, trabalhista, militar etc. Os subsídios podem ter variações em cada região do país, entretanto, a média é entre R$ 24.000 e 27.000.

 Promotor de Justiça

 O promotor de justiça atuará defendendo a ordem jurídica, dos interesses sociais e do regime democrático. A atuação do Promotor é destinada em algumas áreas jurídicas, ou seja, é importante possuir interesse e domínio das temáticas do Direito Penal, Processo Penal e Direito Civil e Processo Civil etc.

 Assim como o cargo para juiz, para os que possuem vontade de ingressar no Ministério Público, é necessário ser Bacharel em Direito, possuir três anos de prática e ser aprovado no concurso público de provas e títulos para o cargo, a faixa salarial é de R$ 24 mil reais.

 Procurador da República

 Os membros da procuradoria também são responsáveis por realizar a defesa da ordem jurídica, realizar a manutenção dos interesses sociais e manter o regime democrático. Para atuar nessa área, é necessário possuir domínio em Direito Civil, Eleitoral e Criminal. Vale dizer que, a atuação é, geralmente, no âmbito federal. 

 Para fazer parte da procuradoria, os requisitos são os mesmos para o cargo de juiz e promotor, ser bacharel em Direito, ser aprovado no concurso de provas e títulos e ter três anos de experiência em prática jurídica. A remuneração inicial é de R$ 28 mil. 

 Procurador de Contas

 O cargo de procurador de contas é responsável por representar o Ministério público no Tribunal de Contas. A função é fiscalizar se as normas constitucionais estão sendo aplicadas como a Constituição Federal determina que sejam. O foco é fiscalizar as questões financeiras, contábeis e orçamentárias do Estado e do Município. 

 Para ocupar uma vaga de procurador, é preciso possuir formação em Direito, passar no concurso de provas e títulos e ter três anos de experiência em prática jurídica. A remuneração é em torno de R$ 30 mil.

 Procurador do Estado

 Apesar de possuir o nome de procurador, não exerce a mesma função que o procurador de contas. O procurador do Estado é um advogado, sua atuação é direcionada para consultas e ser responsável por analisar editais e licitações do Estado.

 O modo de ingresso é através de concurso público de provas ou provas e títulos e possuir inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil. A remuneração salarial fica entre R$ 20 e 22 mil reais.

 Procurador do município

 Exerce a mesma função do procurador do Estado, entretanto, a sua atuação é direcionada ao município. O subsídio tem variações regionais ou estaduais, contudo, a média fica entre R$ 20 e 28 mil. Para ser procurador é preciso ser aprovado em concurso público de prova ou de provas e títulos e ser membro inscrito da Ordem dos Advogados do Brasil.

Defensor público

 É destinado a dar suporte às pessoas que não possuem recursos financeiros para contratarem um advogado particular. Além disso, o defensor público também deverá atuar na atuação da defesa dos direitos humanos.

 Os cargos para trabalhar como defensor público são preenchidos através de concurso público. O concurso poderá ser de provas ou provas e títulos, exige-se do candidato que também possua, no mínimo, três anos de prática jurídica comprovada. O salário inicial é de R$ 18 mil.

 Delegado de polícia

 O delegado é a pessoa responsável em realizar inquéritos, coordenar agentes policiais e exercer o comando nas ações que envolvam questões jurídicas. O cargo de delegado pode ser tanto de competência estadual ou municipal.

 Para ingressar nessa profissão, o candidato deverá ser bacharel em direito, ser aprovado no concurso público, vale mencionar que, alguns concursos podem exigir prática jurídica comprovada, por fim, a remuneração salarial fica entre R$ 10 e 16 mil.

 Procurador do Banco Central 

 O atuante dessa profissão representará o Banco central em causas relativas às questões judiciais e extrajudiciais em que o Banco esteja envolvido. Além de ser representante nesse âmbito, o procurador também atuará prestando consultoria e assessoria jurídica.

 Para concorrer às vagas de Procurador do Banco Central, o interessado deverá ser bacharel em Direito, fazer parte da Inscrição do quadro da Ordem dos Advogados do Brasil e, no mínimo, ter três anos de prática jurídica comprovada.

 Procurador Federal

 Representa as autarquias em questões relativas a questões judiciais e extrajudiciais, nesse sentido, o procurador exerce a função de advogado. Para trabalhar nesse cargo, é importante que o indivíduo tenha domínio em Direito Administrativo, Processo Civil e Direito Constitucional.

 Para ingressar nessa carreira, é necessário ser bacharel em Direito, ser parte do quadro de inscritos da Ordem dos advogados do Brasil e contar, no mínimo, com dois anos de prática jurídica comprovada. No começo da carreira a faixa salarial é de R$ 17 mil reais, podendo aumentar.

 Advogado da União

 O procurador da Fazenda nacional é um advogado que atua em questões da União Federal. Assim como outros procuradores, também dá assistência jurídica e poderá atuar como consultor dos órgãos do Poder Executivo.

 Para ser advogado da união, o indivíduo deverá ter, no mínimo, 35 anos completos e possuir uma reputação ilibada e notável saber jurídico. O ingresso é realizado através de concurso público de provas e títulos, o salário inicial é de R$ 17 mil. 

 Tabelião de notas

 Essa profissão é ideal para os que desejam trabalhar com cartórios, pessoas que trabalham nessa área, são responsáveis por elaborar os instrumentos públicos, lavrar escrituras, autentificam documentos, ou seja, realizam a manutenção da garantia jurídica estipulada nas legislações existentes referentes às documentações.

 Para ser dono de um cartório, é necessário ser bacharel em Direito e ter, no mínimo, dez anos de prática jurídica na área. Além disso, é necessário ser aprovado nas cincos etapas do concurso público e uma avaliação de conduta.

 A ocupação de Tabelião não possui um piso salarial fixo, visto que, a remuneração é efetuada de acordo com o lucro gerado pelo cartório. Contudo, os lucros de um cartório podem chegar até 26 milhões por ano, segundo dados analisados dos cartórios em Brasília.

 Árbitro 

O árbitro trabalha com questões extrajudiciais, desse modo, seu labor é solucionar conflitos, para que seu trabalho seja realizado o profissional deverá ser solicitado por ambas as partes que estão em lide, só assim, poderá atuar na solução do atrito. 

Para trabalhar na área da arbitragem, é necessário realizar um curso de formação para ser árbitro.

 Não existe um teto salarial para a profissão, mas de acordo com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, em litígios com valores próximos de R$ 8 milhões, cada hora trabalhada poderá ser remunerada em até R$ 500,00.

 Advogado autônomo

A advocacia autônoma é a profissão mais comum para os graduados em Direito. Como o curso possui diversas áreas, as pessoas que escolhem essa profissão poderão atuar em diversas áreas, inclusive, em mais de uma se for do seu interesse.

 O advogado trabalha defendendo os interesses dos seus clientes, ou seja, poderá atuar de diversas formas nas causas em que for advogado. Além disso, também poderá ser consultor jurídico e dar assistência jurídica.

 Para exercer esse labor, é preciso ser formado em Direito e ter inscrição no quadro de advogados da OAB. A média salarial é de aproximadamente R$ 1.200 a 2 mil por mês, vale ressaltar que, podem existir variações regionais e do tipo de causas em que o advogado atuará. 

 Empreendedor 

Ser empreendedor é ser dono ou sócio do seu próprio negócio. O empreendedor é a pessoa que possui uma visão para engendrar ideias, negócios e desenvolver planos. Para seguir essa carreira, geralmente, é preciso realizar um investimento em algum projeto, contudo, se for algo criativo e necessário para sociedade, os lucros poderão ser proveitosos.

 Com o surgimento da ramificação do empreendedorismo jurídico, muitos bacharéis em Direito estão escolhendo investir em ideias para essa área. Não existe uma média salarial no mercado, já que, os rendimentos dependerão do sucesso do plano ou ideia desenvolvido. 

 Que tal começar com uma pós-graduação?

Algumas dessas carreiras das áreas jurídicas precisam de uma Pós-graduação para que você possa exercer a profissão. Por isso, fica fácil entender a importância de escolher uma especialização e inovação, que te auxiliará a mudar os rumos da sua carreira. A Faculdade CERS oferece o ensino de qualidade que você precisa para atingir seu êxito profissional, venha fazer parte do nosso time de alunos!

Áreas da especialização

 Na Pós-Graduação CERS à distância, existem diversos ramos do Direito à sua escolha. Conheça as 19 áreas disponíveis à sua escolha para especialização: 

 Direito Político e Eleitoral;

 Ciências Criminais;

 Direito do Trabalho e Processual do Trabalho;

 Compliance e Direito Anticorrupção;

 Direito e Processo Tributário;

 Direito Público;

 Direito Processual Civil;

 Direito Notorial e Registral;

 Direito Imobiliário;

 Direito de Família e Sucessões;

 Direito Médico;

 Direito Contratual;

 Direito Constitucional;

 Direito Administrativo;

 Direito Digital;

 Direito e Prática Previdenciária;

 Segurança Pública- Ênfase em Atividade Policiais.

 Novas áreas

 Pensando sempre em inovação e qualidade, a Faculdade CERS introduziu em seu catálogo 2 novas modalidades de Pós-graduação. Saiba um pouco mais sobre elas:

 Direito em Terceiro Setor

 O curso tem por objeto o estudo de uma área do Direito em expansão, onde a sociedade civil organizada sem fins lucrativos, formada pelas chamadas OSC’s – Organizações da Sociedade Civil (Associações, Fundações, Cooperativas Sociais e Entidades Religiosas), transita pelas mais diversas áreas do direito, uma vez que ainda não há um marco regulatório específico para o setor.

 Direito e Prática Ambiental

 O curso de pós-graduação “lato sensu” online em Direito e Prática Ambiental visa atender aos anseios dos estudiosos e profissionais, por um curso que aprofunde não só no conhecimento teórico das normas ambientais, mas também na aplicação prática dos institutos. Por ser um curso voltado para profissionais de diversas áreas além do Direito, sua linguagem será simples e acessível, sem, contudo, deixar de ser técnica.

 Quer obter mais informações sobre a Pós-Graduação CERS? Clica no link! 👇

 QUERO UM ATENDIMENTO EXCLUSIVO