Os desafios do profissional do Direito na atualidade - Portal de notícias CERS

Os desafios do profissional do Direito na atualidade

Entenda uma das principais dificuldades do exercício da advocacia, no atual mercado.

Por:
Atualizado em 28/06/2019 - 11:47
Desafios do profissional de direito

O início da prática jurídica, é formada por inúmeros desafios do profissional do Direito. A alta concorrência, baixa remuneração, as dificuldades da atuação, etc.

E diante das inúmeras transformações, nos últimos anos, especificamente no mundo jurídico, o mercado de trabalho sofreu diversas mudanças. Afetando por exemplo, no perfil dos clientes, que estão cada vez mais informados de seus direitos e exigentes ao negociar o valor das causas. 

Segundo o Vice-Presidente do CERS e Advogado, Guilherme Saraiva, em 2016 o Brasil chegou ao número de 1 milhão de advogados. Sendo um dos países com maior quantidade do mundo, sem contar com o aumento a cada ano de bacharéis em direito. E com mais concentração de faculdades de direito no mundo.

É certo que para obter sucesso, em qualquer ramo do mercado, é preciso se destacar para conseguir boas oportunidades. No mundo jurídico o profissional deve sempre estar atualizado, para isso é necessário estudar constantemente.

Fases da carreira 

Para melhor compreendermos os desafios da advocacia. É essencial entendermos como é classificada a trajetória desses profissionais, de acordo com o tempo de mercado.

– Aprendiz

Esta é a fase inicial, que todos possuem a chance de passar durante sua formação acadêmica, através dos estágios. Em que são construídas suas capacidades técnicas, postura profissional e aprendizagem das relações humanas.

Os que tiveram a possibilidade de estagiar em órgãos públicos e escritórios de advocacia,  possuem uma experiência ampla. Que permite definir onde e que área querem se dedicar.

Esta é a fase de modelar o comportamento, a forma de se falar, vestir, argumentar e escrever, de acordo com as regras, do aprendiz.

– Contratado ou Empreendedor

Ocorre nos cinco primeiros anos da carreira. Tendo aprendido os ensinamentos da fase anterior,  passará por novos desafios. Um deles é onde iniciar sua carreira, podendo ser em uma empresa, um escritório de advocacia ou se vai abrir o seu próprio escritório.

Esta é a fase de grandes cobranças, de produção, eficiência, proatividade e disponibilidade. Seja ela, uma contratação como associado ou sócio em um escritório. Ou empreendendo sozinho ou com amigos, abrindo o seu próprio local de trabalho.

– Proprietário ou sócio do serviço

Entre seis e dez anos de mercado. Nessa etapa, o desafio é tornar o seu trabalho referência em uma área do direito, expandir seu escritório. 

Aqui surgem diversas preocupações com a publicidade, gestão e administração, imagem,  relacionamentos e finanças.

– Estabelecido

Esta etapa é chegada, aos profissionais que estão entre onze e vinte e cinco anos de carreira. Aqui há o desafio de manter sua reputação, seu empreendimento, abrir novos rumos de mercado, estar sempre se atualizando com as mudanças no Direito e na sociedade. 

– Equilibrista

Os que já passaram mais de vinte e cinco anos. Este profissional já passou por diversas mudanças no mercado, na sociedade e nas leis. Podendo considerar o auge de sua carreira.

As dificuldades da advocacia

Qualquer profissão é formada por inúmeros desafios, no mundo jurídico o desafio está presente em toda a carreira. Ao longo da trajetória, os advogados passam por diverso problemas em cada momento que está passando. 

Desde o primeiro estágio, até a abertura de seu próprio escritório. Ainda que de grande importância na vida profissional, são poucos aqueles que possuem preparação, teórica e prática durante a formação na Universidade.

Cada fase profissional possui desafios, não importa se você é um jovem advogado ou se já atua por um longo tempo. Independente do ciclo em que se encontra, os obstáculos não diminuem apenas mudam e tornam-se mais complexos. 

Diante das inúmeras modificações na advocacia brasileira. Exige-se a versatilidade dos que buscam se diferenciar no mercado e superar as exigências contemporâneos. Os efeitos repercutem em todos os que sentem a necessidade de novas soluções. 

O grande problema é que, muitos bacharéis se formam, e ao se depararem com essa realidade, acabam desistindo.

Com isso, vamos analisar algumas das principais dificuldades:

– Concorrência

Ainda segundo Guilherme Saraiva, a previsão é de que no ritmo de inscrições na OAB, chegaremos a  2 milhões de advogados em menos de 13 anos. A disputa para se destacar entre esse exército se torna fundamental. Este número causa aflição não apenas aos jovens mas a todos os profissionais, mesmo aqueles que já possuem tempo de atuação.

Diante deste quantitativo, surge um cenário de massificação dos cursos de Direito. Que colocam no mercado de trabalho cerca de mil bacharéis por ano. Causando uma desproporção entre a oferta pessoas formadas e demanda de serviços. 

– Aviltamento dos honorários

Uma das consequências da exacerbada concorrência, é a disputa de preço para conseguir clientela. Muitos se sujeitam a baixas remunerações, em busca de mais serviços.

Ainda que seja uma infração ética, muitos submetem-se e desvalorizam a classe. Trazendo consequências não apenas no presente, mas também no futuro, visto que, ao passar do tempo os clientes irão buscar valores menores.

– Relacionamento interpessoal

A prática jurídica é realizada com pessoas, seja, juízes ou funcionários da justiça. E essa é uma das grandes dificuldades, pois, neste ambiente a urbanidade com os juristas não se faz muito presente. 

Esse problema causa medo e ansiedade, aos que estão iniciando a carreira, como de fazer sua primeira audiência ou despachar com o juiz. Mas cabe ressaltar, que o dever de urbanidade é defendido em lei. E determina a insubordinação às autoridades, os servidores públicos e os serventuários da justiça.

A necessidade do bacharel em direito

Em meio a uma sociedade cada vez mais complexa, o papel do advogado está em garantir e cumprir os direitos de seus clientes.

Ainda que haja um alto quantitativo de profissionais, estes são fundamentais para a sociedade. Pois a advocacia é função indispensável para realização da justiça e do Estado democrático de direito.

E o povo sozinho não consegue se valer dos seus direitos.

Alternativas para alcançar o sucesso 

Apesar dessas problemáticas, o curso em Direito é entendido por ser “coringa”. Pois um estudante pode estar cursando a ciência jurídica, mas pode usá-lo para ser diplomata ou diretor de empresa, uma especialização que irá direcionar sua carreira.

Com as especializações, você pode seguir outros caminhos. Diante do surgimento de um leque de oportunidades na área jurídica e nas demais áreas. Seja para concursos públicos, advocacia pública e privada, diplomacia e carreira acadêmica. 

Há mais opções no âmbito do empreendedorismo e empresarial. Ainda que não pareça, os bacharéis em direito possuem vantagem em relação a quem fez apenas a área de exatas. Apesar de não ter a mesma destreza em cálculos, terá habilidade de argumentação, escrita e interpretação do mundo político.

Duas formas importantes de destaque são:

– Criar network

Uma rede de relacionamentos em sua área de atuação é imprescindível para qualquer profissão. No ramo jurídico, não é diferente, pois não há uma só pessoa que não esteja passando por um problema.

Imagine que em uma conversa, você pode ser o solucionador, e esta se tornar sua cliente. Caso você tenha êxito, a sua indicação para os conhecidos é certa.

Assim, é fundamental ser visto neste meio. Participando de eventos jurídicos, instituições comerciais, empresariais e industriais, frequentar a Ordem dos Advogados do Brasil em sua região.

– Especialização

Antigamente, era comum o advogado ser generalista, conseguindo resolver diversos processos nas mais diferentes áreas. No entanto, com as mudanças da sociedade e consequentemente legislativa, há uma extensão de leis, súmulas e jurisprudências em cada ramo. Muitas vezes se fazendo necessário uma especialização em sua área de atuação, seja através de uma pós-graduação, mestrado ou doutorado.

Entenda como uma pós-graduação pode mudar sua carreira

Apesar da ampla concorrência e de não haver uma profundidade nos assuntos teóricos e práticos na Universidade. Muitos advogados não buscam se diferenciar. A especialização é um caminho importante para você combater esse exército de adversários, diante do crescimento do curso jurídico no Brasil.

Uma pós-graduação pode ser um ponto inicial para se destacar no mercado. Buscando ascensão profissional e aumento na remuneração e promoção de cargos. Cabendo ressaltar que ao escolher este curso, você será um estudante a vida inteira. Pois, diante do grande quantitativo de surgimento de leis. O estudante de Direito não tem o privilégio de parar de estudar, sob pena de ficar obsoleto.

Os desafios do profissional do Direito na atualidade

Para entender melhor este assunto, confira o bate papo entre o Promotor de Justiça Rogério Sanches, o Juiz Cleverson Araújo e o Vice-presidente do CERS e advogado, Guilherme Saraiva em uma LIVE exclusiva, falando sobre: Número de advogados chegou a 1 milhão de advogados em 2016, devendo chegar a 2 milhões em até 13 anos. 


 

Que tal começar com uma pós-graduação?

Se você se interessou nesta área, e deseja trazer para sua vida profissional, uma especialização em Compliance e Direito Anticorrupção pode ser o primeiro passo para uma carreira de sucesso. Saiba que é importante escolher uma instituição de qualidade e inovação, que te auxiliará a mudar os rumos da sua carreira. 

A pós-graduação da Faculdade CERS oferece o ensino de qualidade que você precisa para atingir seu êxito profissional, venha fazer parte do nosso time de alunos. 

Quer obter mais informações sobre a Pós-Graduação CERS? Clica no link! 👇

QUERO UM ATENDIMENTO EXCLUSIVO

COMENTÁRIOS