Bloqueio do Telegram no Brasil - Notícias CERS

Bloqueio do Telegram no Brasil

David Melo
Por:
Atualizado em 23/03/2022 - 14:25
bloqueio do telegram
bloqueio do telegram

Recentemente, uma decisão do Ministro Alexandre de Moraes suspendeu as atividades do aplicativo de mensagens “Telegram”. O bloqueio do Telegram foi assunto no Brasil inteiro e provocou diversas opiniões sobre a possibilidade da atuação da Suprema Corte.

Logo, o Portal do CERS não ia ficar de fora dessa discussão. Veja agora a nossos comentários acerca dos argumentos jurídicos da suspensão do aplicativo.

O que Motivou o Bloqueio do Telegram no Brasil?

A medida que afetou milhões de usuários no Brasil foi um desdobramento do processo contra o blogueiro Allan dos Santos. O descumprimento das medidas solicitadas pela Corte foi o motivo fundamentado pelo Ministro Alexandre de Moraes.

No contexto do processo contra Allan, a corte solicitou o bloqueio e a desmonetização das suas contas. Ele é acusado de integrar uma milícia digital que produz notícias falsas na internet. Logo, a falta de resposta por parte do Telegram fez com uma nova ordem fosse expedida. Dessa vez suspendendo a atividade de todo o aplicativo.

Por sua vez, o aplicativo de mensagens é conhecido no mundo por sua capacidade de proteção de informações. Todavia, muitos grupos aproveitam essa criptografia para a prática de crimes.

Nesse sentido, o Telegram é alvo de críticas no mundo todo, por ter uma tolerância a conteúdos ofensivos. Grupos de pedofilia, neonazistas e tráfico são recorrentes na plataforma.

O Ministro Alexandre de Moraes utilizou alguns desses exemplos na sua fundamentação. Após a ordem de suspensão, o aplicativo cumpriu os pedidos realizados pela corte.

– Revogação da Medida

Verifica-se, assim, por parte do TELEGRAM, o INTEGRAL CUMPRIMENTO DAS DECISÕES JUDICIAIS EMANADAS POR ESSA SUPREMA CORTE, nos termos abaixo especificados:

(1) Bloqueio dos perfis @allandossantos, @artigo220, @tercalivre e @allandossantos2;

(2) Indicação do usuário de criação dos mencionados perfis, com todos os dados disponíveis (nome, CPF, e-mail), ou qualquer outro meio de identificação possível, além de apontar a data de criação do perfil;

(3) Suspender, imediatamente, o repasse de valores oriundos de monetização, dos serviços usados para doações, do pagamento de publicidades e da inscrição de apoiadores e advindos de monetização oriunda de lives, inclusive as realizadas por meio de fornecimento de chaves de transmissão aos canais/perfis indicados; e

(4) Indicar de forma individualizada os ganhos auferidos pelos canais, perfis e páginas referidos acima, com relatórios a serem apresentados em 20 (vinte) dias.

Histórico das Suspensões de Aplicativos no Brasil

A suspensão do Telegram não foi o primeiro episódio de restrição de aplicativo no Brasil. Medidas judiciais foram responsáveis pela suspensão da atividade do Whatsapp em 2015 e 2016 após o serviço de mensagens não colaborar com informações para investigações.

– Fevereiro de 2015

A primeira vez que uma medida judicial foi utilizada aconteceu em fevereiro de 2015. Um Juiz de Teresina bloqueou as atividades do Whatsapp. No entanto, o aplicativo não chegou a ficar fora do ar, pois a ordem foi derrubada rapidamente por um desembargador.

– Dezembro de 2015

A segunda decisão judicial produziu efeitos. Em dezembro de 2015 uma decisão em São Paulo impediu o funcionamento do aplicativo durante 14 horas. Novamente, foi alegada que a empresa não atendeu determinação judicial.

– Maio de 2016

Em maio de 2016 a Justiça do Sergipe bloqueou o Whatsapp por 24 horas em todo Brasil. Novamente, a medida foi realizada após o aplicativo não colaborar com determinações judicias.

– Julho de 2016

Por fim, em Julho de 2016, uma vara criminal de Duque de Caxias, proferiu decisão judicial suspendendo as atividades do Whatsapp. Sob o mesmo fundamento, as atividades ficaram suspensas por 4 horas. Na época, o Ministro do STF Ricardo Lewandowski, proferiu liminar retornando a atividade do aplicativo.

Atipicidade dos Meios Executivos

Um tema jurídico de grande relevância e que possui sentido com essas espécies de decisão é o princípio da atipicidade dos meios executivos. Apesar das decisões tratarem de conteúdo do processo penal, elas conferem exemplos a possibilidades tratadas nos meios executivos do processo civil.

A partir do CPC 2015, os processos executivos tiveram uma virada na sua forma de tratamento. Na execução e no cumprimento de sentença o princípio da atipicidade tornou-se regra, não exceção.

A divisão entre tipicidade e atipicidade se refere as medidas trazidas pelo código e o conjunto criativo a que o magistrado poderá seguir, a fim de efetivar a tutela pretendida no processo. Nesse contexto, o conjunto criativo é discernido por claúsulas gerais que atuam como pontos de partida e pontos de conexão a atuação do Juiz, seguindo também princípios e postulados que denotam a fundamentação, a proporção e a razão da medida.

Técnicas para Adoção de Meios Executivos Atípicos

Portanto, a suspensão de aplicativos impõe uma importante discussão acerca do tema. Tornando-se exemplo de ponderação das técnicas, princípios e postulados. De acordo com a doutrina majoritária, as principais técnicas para adoção de medida atípica são:

– Adequação

– Necessidade

– Proporcionalidade

– Razoabilidade

– Menor Onerosidade

Medidas como a suspensão de um aplicativo, para atingir resultado prático equivalente à tutela pretendida, atuar como meio de pressão, ou até mesmo sanção pela efetivação de uma desobediência, aferem uma medida de alta onerosidade a pessoas não envolvidas no processo.

Todavia, o caso do Telegram torna-se paradigma de um resultado quase instantâneo do cumprimento de medida que antes fora ignorada. A partir desse exemplo outras decisões poderão ampliar seu rol de debate de atuação principalmente quando tratarem de direitos e princípios fundamentais.

Gostou do Nosso Conteúdo?

Esperamos que tenha gostado do nosso conteúdo! O CERS cursos online é especialista em aprovação porque sabe como adaptar a necessidades dos alunos a melhor técnica! Confira mais assuntos sobre técnicas de estudos aqui no notícias CERS e conheça nossa metodologia!

bloqueio do telegram
bloqueio do telegram

Conheça a metodologia CERS de estudos,com uma carga horária de mais de 1200h. Os cursos completos do CERS, composto com o melhor corpo docente da área Jurídica no Brasil, oferece, a partir de um estudo personalizado, o método mais completo de estudos. Carga horária completa e direcionada, benefícios, atributos, além de diversos bônus para intensificar seus estudos. 

Leia também:

Estudo e trabalho como conseguir ser aprovado trabalhando?

Por que você esquece o que estuda?

Saiba o que é Ritmo de Aprendizagem!

Nova Lei de Câmbio o que Deve Mudar?