A rotina e os segredos dos aprovados para DPF - Notícias CERS

A rotina e os segredos dos aprovados para DPF

Foi aprovado no concurso para Delegado Federal aos 29 anos.

Igor Ribeiro
Por:
Atualizado em 08/09/2020 - 16:32
historia da aprovacao

Atenção, Futuro Delta! Sabemos que hoje você está com seus estudos focados no concurso da DPF.  As expectativas são altas, o que costuma gerar bastante tensão e dúvida. Com tanta gente se preparando para um concurso tão concorrido, será que você está fazendo tudo que pode para sair na frente?

Será que você está no caminho certo para a provação na DPF?

É sobre isso que vamos falar hoje, e ninguém melhor do que quem já viveu isso na pele para te contar, em primeira mão, como é a rotina do “pré-Delta”.

Então hoje nós vamos conhecer a história do nosso ex-aluno e Delegado Federal, Bruno Mota, aprovado no último concurso aos 29 anos. Leia com atenção, pois a próxima história a ser publicada aqui no blog pode ser a sua.

Qual o background?

Ele começou sua história na área do direito na Universidade Federal da Paraíba e seu primeiro Estágio foi no Ministério Público da Paraíba (MP/PB), assessorando um Promotor de Justiça.

Logo depois, ao concluir a sua graduação, foi aprovado no concurso para Polícia Rodoviária Federal, no cargo de Policial. Contudo, sempre guardou consigo o sonho e desejo de se tornar Delegado de Polícia Federal. Sempre disse: “Sinto-me vocacionado (para o cargo)”.

Como foi a trajetória de estudos?

Bruno realizou duas pós-graduações na área jurídica e sempre foi mesclando sua especialização, com a preparação firme e constante para o próximo concurso da PF. Segundo ele, sempre focou os estudos para o cargo de Delegado, separando as disciplinas cobradas e focando nos temas de maior recorrência.

Ele cita também que a contratação da Ad Verum para se preparar para fase oral do concurso foi essencial, posto que os professores o ajudaram não apenas com o conteúdo programático, mas também com dicas de como manter uma boa postura, dicção e etc.

Os estudos mais detidos para o concurso começaram no início de 2017, focando nas 4 principais disciplinas, que são: Direito Penal, Direito Processo Penal, Direito Constitucional e Direito Administrativo. No meio do ano a Polícia Federal protocolou um pedido de abertura do concurso o que motivou Bruno a intensificar os estudos.

E sobre as avaliações físicas, médicas e psicológicas?

Após aprovação nas provas objetiva e discursiva, foi necessário enfrentar uma série de avaliações físicas e psicológicas. É necessário não baixar a guarda, pois a seleção continua, e Bruno afirma que não é tão fácil quanto parece. Além de ser uma fase um pouco cara, pela realização de inúmeros exames, é preciso, em algumas ocasiões, viajar para Brasília. 

No exame é exigido que você esteja em boas condições de saúde para ser considerado apto a exercer a função, então é importante os critérios não sejam negligenciados ao longo da preparação como um todo. O mesmo pode-se dizer sobre a avaliação psicológica, o que é compreensível, já que trata-se de uma profissão que exige muita centralidade do candidato.

A preparação Antecipada para o TAF, como foi?

Um dica dada pelo nosso ex aluno é começar a se preparar para o TAF bem antes do concurso ocorrer, para que o candidato chegue nesse momento verdadeiramente apto a enfrentar as provas. Bruno conta que contratou um personal trainer para ajudá-lo com os exercícios, mas completa dizendo que, quando o acesso a esse tipo de suporte não for viável, é perfeitamente possível montar uma preparação com vídeos na internet que ensinam as etapas do exame com base no último edital.

Houve renúncia?

Bruno afirma que estudava todos os dias de domingo a domingo, mantendo se firme em busca da sua aprovação. Pondera que “é claro que alguns dias você perde (o ritmo), mas é importante sempre, nos outros, recuperar”.

Após a autorização do concurso efetivamente, Bruno começou a se dedicar com muito mais afinco ao estudos: diminuiu suas atividades sociais, ficando praticamente recluso e estudando para o certame. A lição que fica, diz, é que não é fácil, mas é perfeitamente possível para aqueles que possuem constância e disciplina.

O segredo final para se tornar um DPF!

Conforme visto, a rotina de um pré-Delta que tomada por dedicação e esforço, com atenção e preparação antecipada para cada fase do processo seletivo, o que não é surpresa para ninguém. E qual o segredo? É que tudo isso está nas suas mãos. Não depende do momento e não depende de outras pessoas, pois você tem tudo que precisa. 

Você tomou a decisão de ser aprovado no próximo concurso da Polícia Federal? Então conte conosco, estamos a postos com uma preparação de ponta para te auxiliar nessa jornada rumo à aprovação. Vamos juntos!

Confira todos os detalhes da carreira de Delegado Federal (DPF)!

Tags relacionadas: