Tudo sobre o Outubro Rosa - Portal de notícias CERS

Tudo sobre o Outubro Rosa

Conheça o movimento que reúne milhares de pessoas na conscientização do câncer de mama

Ana Laranjeira
Por:
Atualizado em 10/10/2018 - 16:49
CANCERDEMAMA-noticias960x350

O câncer de mama é o segundo mais frequente nas mulheres, depois do câncer de pele. No Brasil, estima-se que mais de 50.000 casos são registrados anualmente. Porém, mesmo com a alta incidência do tumor, muitas mulheres não tem o hábito de realizar o autoexame. Esse método preventivo, no entanto, é responsável pela descoberta de, em média, 80% dos casos.

Por isso, pensando em uma maneira de estimular a participação da sociedade no controle da doença e ajudar as mulheres a adotarem hábitos preventivos, surgiu o movimento Outubro Rosa. Dessa forma, durante todo o mês de outubro uma série de ações sobre o tema são realizadas ao redor do mundo. Entre os objetivos dos eventos estão o compartilhamento de informações e a promoção do acesso aos serviços de diagnóstico.

Para ajudá-lo a entender mais sobre o câncer de mama, preparamos um artigo especial com todas as informações que você precisa saber. Por isso, continue lendo!

O que é o câncer de mama?

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor.

O desenvolvimento da neoplasia maligna depende do seu tipo, podendo demorar meses ou anos para entrar em metástase. Ou seja, quando o câncer se espalha para outras partes do corpo.

Tipos mais comuns de Câncer de mama

Carcinoma ductal in situ

Em média 20% dos novos casos de câncer de mama são desse tipo. Ele é considerado não invasivo ou um câncer de mama pré-invasivo. Se diagnosticadas nesse estágio, quase todas as mulheres podem ser curadas.

Carcinoma invasivo sem outras especificações (antigo carcinoma ductal invasivo)

Tipo mais comum de câncer de mama, cerca de 70% das mulheres. Neste caso, ele se inicia em um ducto mamário.

Carcinoma lobular invasivo

Começa nas glândulas produtoras de leite e atinge em média 10% das mulheres. Esse tipo de câncer de mama pode ser mais difícil de diagnosticar na mamografia.

Quais são os sintomas do câncer de mama?

A partir dos 35 anos, a incidência do câncer de mama aumenta consideravelmente nas mulheres. No entanto, o risco maior está concentrado em pessoas acima dos 50. Para evitar o diagnóstico tardio e aumentar as chances de cura, é importante estar atenta aos sinais que o seu corpo.

São sintomas do câncer de mama:

1. Aumento de tamanho dos seios e veias muito visíveis;
2. Dor, inchaço, vermelhidão ou calor na mama;
3. Liberar líquidos, como sangue, pelo mamilo;
4. Nódulo ou caroço na mama que não sai;
5. Feridas na pele da mama;
6. Coceira frequente no mamilo;
7. Endurecimento da pele da mama.

Fatores de risco

Diversos fatores podem estar relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama. A doença, portanto, não tem causa definida. No entanto, existem condições em que se verifica maior incidência dele nas mulheres. Como, por exemplo, fatores:

1. Endócrinos ou história reprodutiva;
2. Comportamentais ou de ambiente;
3. Genéticos ou hereditários.

Fatores endócrinos ou de história reprodutiva

São aqueles que estão ligados ao estímulo do estrogênio. Seja produzido pelo corpo ou através do uso contínuo dessa substância, eles podem ser um agravante para o surgimento do câncer. Alguns casos comuns são: menstruação precoce, menopausa tardia, primeira gravidez depois dos 30, uso de contraceptivos orais, não ter filhos e terapia para reposição hormonal.

Fatores comportamentais ou de ambiente

Referem-se aos hábitos e estilo de vida da mulher. Ingestão de bebidas alcóolicas, sobrepeso/obesidade após a menopausa e exposição à radiação ionizante são exemplos de casos relacionados.

Fatores genéticos ou hereditários

A mutação está presente em genes transmitidos na família. Mulheres com histórico de câncer de mama na família, por exemplo, tem predisposição ao desenvolvimento da doença.

Como fazer o diagnóstico precoce?

Quando detectado em estágio inicial, as chances de tratamento e cura para o câncer de mama são promissoras. Por isso, para fazer o diagnóstico precoce, é importante que a mulher verifique qualquer alteração suspeita na mama.

Além disso, também é recomendado realizar a mamografia. Quando não há sinais, nem sintomas, esse pode ser o único método de identificar alterações. A recomendação é que esse procedimento seja realizado em mulheres entre 50 e 69 anos.

Direitos das mulheres com câncer

Ao ser diagnosticada com câncer, a mulher tem direito a uma série de benefícios que podem ser usados para o tratamento. No entanto, muitas não sabem quais são ou como consegui-los.
Para esclarecer essas dúvidas, portanto, são direitos sociais das mulheres com câncer: saque do PIS e do FGTS; quitação do financiamento da casa própria; isenção de IPVA para veículos adaptados; isenção de IPI, bem como de ICMS, na compra de veículos adaptados; isenção do imposto de renda na aposentadoria; aposentadoria por invalidez; auxílio-doença; auxílio acompanhante; benefício assistencial ao idoso e à pessoa com deficiência.

No entanto, é importante ressaltar que esses benefícios estão disponíveis, em geral, para as mulheres que contribuem com o INSS.

Auxílio-doença

Pode ser solicitado pelas mulheres que estão temporariamente impossibilitadas de trabalhar e vão se dedicar ao tratamento. O auxílio é pago mensalmente até que a paciente possa voltar à sua rotina.

Se comprovada pela perícia médica do INSS, profissionais liberais e empresárias também podem solicitar o auxílio.

Auxílio acompanhante

Conforme descrito no Decreto 3.048, de 1999, se comprovado que a mulher aposentada precisa de assistência permanente no dia a dia, é possível entrar com solicitação pedindo um adicional de 25%.
Por ser um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído com o INSS para ter direito. Entretanto, é necessário atestar que a renda por pessoa do grupo familiar seja menor que 1/4 do salário-mínimo vigente.

Aposentadoria por invalidez

Mulheres que fizeram cirurgia para retirada da mama e apresentaram alguma sequela definitiva, provocada pela doença ou pelo tratamento, podem solicitar este benefício.

No entanto, para ser concedido, é necessário atestar que a contribuição com o INSS começou antes da incapacidade para trabalhar. No caso de neoplasias malignas, não há carência de 12 contribuições.

Bônus: top 5 dicas para se prevenir

Agora que você já conhece mais a respeito do Outubro Rosa e os motivos que levam este período a ser importante, trouxemos o top 5 dicas para se prevenir da doença. Confira abaixo:

1. Praticar pelo menos 30 minutos de atividade física, pelo menos 3x na semana;
2. Manter uma alimentação equilibrada, rica em legumes e vegetais;
3. Evitar a ingestão de álcool, principalmente combinado ao cigarro;
4. Evitar o cigarro, já que esse produto possui mais de 4.000 substâncias tóxicas;
5. Fazer acompanhamentos regulares ao médico, assim como o autoexame.

Conheça o Lenço do Dia

Maria Paula é advogada, professora e aluna do CERS. Ela foi diagnosticada com câncer de mama em 2011. Quase 6 anos depois, em 2016, Maria foi surpreendida com um novo diagnóstico. Hoje ela convive com o câncer de mama metastático.

Com o objetivo de ressignificar a doença, criou o projeto Lenço do Dia, onde compartilha a sua história com outras pessoas. “Cada um tem a sua própria história, e na minha aconteceu o câncer. Apesar disso, meu propósito é viver feliz e viver muito”.

O CERS apoia esta causa

Durante o Outubro Rosa, na promoção Garanta a sua Vaga do CERS, parte da renda arrecadada será revertida para o projeto Além da Cura.

O projeto Além da Cura tem como objetivo valorizar e empoderar mulheres durante o tratamento do câncer. É um documentário que fala sobre a importância de olhar a vida e a si mesmo de outra maneira, com suas virtudes e fraquezas: com humanidade.

O Além da Cura traz exemplos de força para inspirar outras tantas que enfrentarão a doença, assim como seus familiares e qualquer pessoa que esteja passando por algum desafio na vida.

Ao todo, 60 mulheres em 5 países já foram entrevistadas para o projeto. Além disso, o Além da Cura atua fazendo várias campanhas de conscientização e inspiração.

Gostou da matéria? Então continue acessando o Portal de Notícias do CERS! Informações e novidades a respeito dos certames, cursos e muito mais para você!

COMENTÁRIOS