Guia de estudo: oportunidades para concursos de Tribunais - Portal de notícias CERS

Guia de estudo: oportunidades para concursos de Tribunais

Por:
Atualizado em 02/05/2017 - 15:03

Qual é o caminho para uma aprovação em concurso público na área tribunal?

Se você está decidido a iniciar a sua trajetória de estudos até ser aprovado em concurso público para a área de tribunais, saiba que haverá muitas oportunidades para você alcançar o seu objetivo.

Não estamos dizendo que você deve atirar para todos os lados e se inscrever em todos os concursos de tribunal que aparecer pela frente. Essa pode se tornar uma tática desesperada e diminuir o seu desempenho nos estudos.

Os concursos para tribunais possuem muitas semelhanças que devem ser consideradas desde o planejamento. Apenas desta forma, você irá construir a base necessária para enfrentar as provas de qualquer certame da área.

O candidato deve elaborar um quadro de aproveitamento de estudos, com enfoque no eixo central de disciplinas comuns aos últimos editais publicados. Com a teoria solidificada, o próximo passo é resolver questões de provas anteriores com destaque para as bancas que costumam organizar estes concursos.

Quando o edital de um dos tribunais de interesse sair, você deve combinar o estudo entre teoria e prática, acrescentando as disciplinas que são novidade ou legislação específica que você ainda não estudou.

A importância também de sempre acompanhar as alterações legislativas e jurisprudência dos tribunas superiores. Por isso a importância de manter o material de estudo atualizado.

Oportunidades

Uma das vantagens de estudar para tribunais é a quantidade de concursos abertos por ano. Além do Tribunal de Justiça de cada estado, ainda há cinco Tribunais Regionais Federais, 24 Tribunais Regionais do Trabalho e 27 Tribunais Regionais Eleitorais. Também podemos considerar os tribunais Superiores: STF, STJ, TST, STM e TSE.

Outra vantagem é o número de convocações. Como exemplo, podemos citar o concurso para escrevente técnico do TJSP em 2014. Com oferta inicial de 471 vagas, o certame convocou 1.711 aprovados. Mais de três vezes a oferta inicial!

Isso é compreensível porque concursos para tribunal é visto como um “concurso trampolim”, o que torna a rotatividade elevada na carreira. Os candidatos almejam conquistar a vaga para alcançar estabilidade e ter melhores condições para continuar os estudos com foco em cargos da carreira jurídica ou em outro tribunal que ofereça melhores atrativos.

As vantagens, cargos e salários

Já falamos aqui das vantagens de estudar para vários concursos de tribunais e o quantitativo de vagas ofertadas. Mas o grande atrativo são a estabilidade e remuneração. Estes são os principais motivos que despertam interesse dos concurseiros. Então, vamos lá!

As vagas para técnico judiciário exigem nível médio, podendo haver também áreas para formação técnica específica, como tecnologia da informação e segurança. A média salarial é de 4 mil e 6 mil reais.

Para analista judiciário, com exigência de nível superior, as possibilidades podem ser para qualquer área de formação, ou cargos privativos nas especialidades de Direito, Medicina, Engenharia, Contabilidade, entre outros. Os salários de analista judiciário – área administrativa, por exemplo, em média, é de R$ 8 mil.

Além disso, os servidores dos tribunais podem considerar benefícios de auxílio-saúde e auxílio alimentação. Em caso de atuação em função comissionada, ainda há também outras gratificações. 

Leia também:

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS