Facilidade ou dedicação? - Portal de notícias CERS

Facilidade ou dedicação?

Por:
Atualizado em 04/04/2017 - 11:32

miziara-dedicação-oratóriaVocê já deve ter se perguntado o que uma pessoa precisa ter para negociar bem ou até mesmo ter dito: “eu não nasci com o dom para negociar…”. Os bons negociadores podem, realmente, ter nascido com essa facilidade, mas também podem se aperfeiçoar tecnicamente.

Assim como um atleta de alto rendimento, não adianta ter o talento se não treinar 8 horas por dia. O talento sozinho nem sempre traz bons resultados, mas a dedicação a uma tarefa sempre traz o retorno desejado. Conhecendo tecnicamente como funciona o processo negocial você entenderá onde falha e quais as melhores práticas dos negociadores experientes.

Destaco aqui 3 conselhos para você preparar sua argumentação, antes mesmo de sentar à mesa de negociação. Assim conseguirá negociar com mais segurança e obter êxito já na sua próxima tarefa negocial.

 

1. Analise bem o cenário da negociação 

O cliente procurou você porque quer rescindir o contrato ou porque quer renová-lo? Ele foi uma indicação ou chegou até você pelo site? Conhecendo as características dele você será muito mais efetivo. Analise, também, os desdobramentos de suas ações. Às vezes uma boa ideia pode gerar problemas futuros caso você não pense nas consequências dela.

2. Pense nos melhores argumentos 

Com base nas análises e nas informações, prepare um plano de ação e pense nos argumentos mais adequados ao cliente. Muitas vezes aquilo que você prioriza é diferente do que o outro prefere. Conheço pessoas que trabalhariam o dobro do que trabalham se recebessem o dobro do salário, mas também conheço pessoas que aceitariam trabalhar metade do tempo que trabalham mesmo recebendo metade do salário que recebem. Essas pessoas só possuem preferências diferentes e não existe certo nem errado nesse exemplo, mas se você sugerir que trabalhe o dobro a pessoa que deseja trabalhar a metade você não conseguirá êxito na sua negociação.

3. Planeje sua negociação por escrito e crie opções

Um erro muito comum é a pessoa estar segura demais (por conhecer o tema ou o serviço que vai negociar) e não planejar a negociação em uma filha de papel. Deixar tudo na cabeça pode fazer com que você esqueça boas opções. Criar opções é fundamental para que a negociação ocorra. Tenha, no mínimo, 3 opções: uma otimista (o melhor dos mundos pra você), uma realista (aquela que você aceita com facilidade) e o mínimo aceitável (aquela que seria a sua última opção). Caso você vá negociando e a oferta fique abaixo do seu mínimo aceitável, decline a proposta. Existe uma máxima em negociação que diz: “é melhor não fechar acordo do que fechar um mau acordo!”.

 

Coloque em prática esses conselhos e já comece a perceber os resultados. Planejar é fundamental para alcançar seus objetivos, é onde você traça a sua estratégia e sabe exatamente onde pode pisar sem se machucar. O improviso fará parte de sua negociação, mas ele é um recurso e não deve ser a regra.

 

Negociar somente no improviso pode gerar resultados extremamente desagradáveis e aquela sensação de “eu devia ter dito isso naquela hora…”. Entenda o cenário, pense nos melhores argumentos e planeje. Você ficará impressionado com o resultado que conquistará.

Ah, e vale sempre lembrar: a negociação é uma habilidade e não um dom. Por isso ela é ensinada em escolas de negócios e cursos online. Qualquer pessoa pode desenvolver essa habilidade e, para isso, basta conhecer as técnicas e coloca-las em prática.

Conte comigo e sucesso sempre!

guilherme-miziara

 

 

 

 

 

 

Quer receber dicas e conteúdos gratuitos sobre oratória e comunicação? CLIQUE AQUI

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS