Posso me dar o direito de errar em questões de concursos para tribunais? - Portal de notícias CERS

Posso me dar o direito de errar em questões de concursos para tribunais?

Por:
Atualizado em 29/12/2017 - 12:38

Quando o candidato se propõe em realizar uma prova para determinado Tribunal, deve ter em mente o quanto o concurso é disputado, independente de qual seja o órgão em que ele deseje concorrer a uma vaga.

Na última prova do TST (novembro/2017), por exemplo, o número de inscritos para analista judiciário/área Judiciária foi de 21.044. Já para o cargo de técnico judiciário/área administrativa, o total foi de 54.354 inscritos.

Em outras palavras, mas de acordo com o que os números apontam, pode-se dizer também que as provas para cargos em Tribunais são extremamente concorridas. Muito das escolhas dos concurseiros pela área se deve aos salários oferecidos e as horas determinadas para o cumprimento da jornada de trabalho, que costumam ser 30 por semana, sendo seis por dia, de segunda à sexta-feira.

Apenas para se ter uma ideia da ampla concorrência, para que você esteja entre os nomes da lista de classificados para a convocação, será necessário acertar, em média, de 80% a 90% de toda a prova.

Por isso, é muito importante que você estude bem todos os assuntos listados no edital, sem deixar nenhum conteúdo de lado. Uma questão perdida pode fazer toda a diferença no seu gabarito e, consequentemente, em sua colocação.

Caso o documento ainda não tenha sido publicado, uma dica legal que você pode seguir para se guiar é a criação do seu próprio edital. Para elaborá-lo, você pode fazer um levantamento das provas anteriores e topificar todos os assuntos que foram cobrados. Assim, você pode iniciar seus estudos com um bom tempo antes do dia da prova e apenas potencializá-los quando o edital sair.

Vale lembrar ainda que as questões de conhecimentos gerais têm peso 1 e as questões voltadas para conhecimentos específicos têm peso 3. Nesse quesito, as questões são divididas em três graus de dificuldade:  fácil, médio e difícil.

Diante da elevada concorrência, o candidato não deve errar as questões fáceis e médias, e, quanto as difíceis, são elas que irão fazer o diferencial no resultado final da prova.

?Uma outra dica interessante para você conseguir aumentar o número de acertos é a realização de bom curso preparatório. Por meio dele, você terá acesso aos conteúdos mais visados entre as bancas examinadoras de concursos públicos.

Sua preparação terá o direcionamento ideal de professores especialistas em cada uma das disciplinas relacionadas na lista de conteúdos do edital. É necessário ainda que você tenha um livro direcionado para concursos, a fim de ter uma visão geral dos institutos.

Além de tudo isso, você deverá responder inúmeras questões (objetivas e subjetivas), bem como simulados. Esse treinamento passará a estabelecer a você uma estimativa dos seus erros e acertos. Assim, você saberá quais temas têm maior dificuldade e que precisa ser estudado com mais atenção.

Seguindo bem todos esses pontos, a probabilidade de errar uma questão parecida na prova é bem menor. Aliás, não podemos deixar de dizer que é constante a repetição de questões dos concursos anteriores, o que é mais uma fator para resolver as provas já ocorridas.

Assim, você deverá estudar para errar o mínimo de questões possíveis, cerca de 15% a 25%, e, quando errar, que sejam as difíceis. Para isso, deverá, além de estudar teoria e lei seca, solucionar questões diariamente.

 

Você pode se interessar por:

Como passar em concursos para tribunais

Concursos na área de tribunais: quando passar das disciplinas gerais para as específicas?

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS