Usina diz a PRT que bloqueio judicial acarretou cheques sem fundo - Portal de notícias CERS

Usina diz a PRT que bloqueio judicial acarretou cheques sem fundo

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Advogados da Usina Taquara estiveram hoje (30) na Procuradoria Regional do Trabalho em Alagoas (PRT-19) para prestar esclarecimentos sobre o fato de a empresa ter pagado a ex-empregados com cheques sem fundo. De acordo com eles, o problema ocorreu devido ao bloqueio judicial de R$ 750 mil nas contas da usina, determinado pela Justiça do Trabalho em decorrência de execuções fiscais.

Outra causa apontada pelos representantes da empresa foi a inadimplência de um dos compradores de melaço (subproduto da cana-de-açúcar). Segundo eles, o cliente não honrou com o compromisso assumido durante a venda do produto e gerou “diversos transtornos”. Afirmaram ainda que a usina espera por liberação de empréstimo bancário para quitar os débitos no prazo máximo de noventa dias.

A procuradora do Trabalho Virgínia Ferreira rejeitou prazo tão longo e disse que a usina deve quitar os direitos trabalhistas o mais rápido possível. Requereu também a relação dos trabalhadores pagos com cheques sem fundo, os respectivos valores e o total dos ex-empregados que ainda não receberam as verbas rescisórias.

Como já existe acordo judicial, decorrente de ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho contra a Usina Taquara, Virgínia Ferreira informou que irá avaliar os termos desse acordo para, posteriormente, adotar as medidas necessárias. Nova audiência ficou marcada para o próximo dia 5 de junho.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Procuradoria Regional do Trabalho da 19 Região (Alagoas)
 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS