UPE quer formar profissionais que saibam advogar - Portal de notícias CERS

UPE quer formar profissionais que saibam advogar

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Por Joffre Melo

Com informações do Portal NE10

Seja para as vagas do vestibular tradicional ou do seriado, seja para aquelas destinadas aos alunos egressos de escolas públicas, o curso de direito despontou como o mais concorrido na seleção 2013 da Universidade de Pernambuco (UPE). Quase 130 feras vão disputar uma vaga na nova graduação que será oferecida em Camaragibe, no Grande Recife – para o Sistema Seriado de Avaliação -, enquanto cerca de 100 candidatos concorrerão a uma vaga nas provas tradicionais. Essa grande demanda para o direito pode ter sido motivada por alguns fatores: pouca oferta em universidades públicas, número de vagas reduzido na UPE e possibilidade de atuação em várias áreas.

Desde o ano passado a UPE possui o curso de direito no câmpus Arcoverde, onde há 30 vagas para o turno da noite. O novo curso na Capital vai oferecer a mesma quantidade de vagas, com possibilidade de aumentá-las no futuro. “Escolhemos esse número porque achamos prudente. É preciso começar um curso com responsabilidade. À medida que o curso vai se estabelecendo, há a criação de novas vagas. É preciso cautela”, explica o coordenador em Arcoverde, Oton Vasconcelos Filho, que também elaborou o Projeto Político Pedagógico de Camaragibe.

No Grande Recife, o curso vai funcionar em horário integral. “Nos primeiro períodos haverá dois dias com aulas de manhã e à tarde, mas com o decorrer do tempo, com os estágios supervisionados, todas as manhã e tardes serão preenchidas com atividades, à exceção da sexta-feira que será designada para o aluno estudar em casa e resolver problemas pessoais”, esclarece Oton Filho.

O professor acrescenta que, pela estrutura do curso, o perfil dos alunos tende a ser mais jovem e com dedicação quase exclusiva. “Quem fizer o vestibular para direito no Recife dificilmente terá condições de trabalhar”, alerta. O curso tem duração de cinco anos com, no mínimo, 10 períodos que agregam cerca de 60 disciplinas mediadas por mestres e doutores.

Para o coordenador, muitos estudantes buscam a graduação em direito como trampolim para concursos públicos; “isso traz consequência negativa como a má formação de advogados”. Na tentativa de reverter esse quadro, Oton Vasconcelos Filho explica que o curso pretende, além de formar bacharéis em direito, formar um profissional que saiba advogar. “Durante o período em que estiver na universidade, ele vai ter que se dedicar à vida acadêmica”, garantiu.

Sobre a alta concorrência do curso no Vestibular 2013, Oton Filho elege três causas: “Há um retraimento no que diz respeito à oferta de vagas em universidades públicas no Recife (a UFPE oferece 225 vagas). Em segundo lugar, direito ainda é um dos cursos que tem um leque de profissões grande (advocacia pública e privada, ministério público, magistratura, concursos públicos) e, por fim, a credibilidade de uma universidade estadual como a UPE”.

INOVAÇÃO – O novo curso de direito da UPE em Camaragibe surge com uma proposta diferenciada nas aulas práticas. Segundo o coordenador, os alunos farão estágios em delegacias de polícia da Região Metropolitana do Recife para aprenderem a se portar nesses ambientes. Além disso, o estágio supervisionado poderá ser realizado na própria Procuradoria da Universidade, sob orientação de professores, preceptores e advogados.

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS