Um estudo de caso de planejamento de estudos para auditor fiscal de tributos - Portal de notícias CERS

Um estudo de caso de planejamento de estudos para auditor fiscal de tributos

Por:
Atualizado em 07/03/2016 - 08:51

cronograma-fiscal-auditor-concurso-cersIniciamos esta série de artigos com a ideia de apresentar os atrativos para que um aspirante a cargos públicos opte pelos concursos da área fiscal, tais como Auditor de Tributos, Carreiras de Tribunais de Contas e Auditor Fiscal do Trabalho. Com o desenrolar das semanas, ingressamos na seara da estratégia e planejamento de estudos, culminando-se, ao final, com alguns cuidados que o estudante deve ter com os aspectos físico e psíquico-emocional.

Última semana da série, é hora, então, de tirar as dicas e orientações do papel e partir da teoria para a prática. O objetivo é apresentar um caso hipotético de planejamento de estudos para ilustrar o desenvolvimento de uma estratégia campeã de preparação para concursos da área fiscal.

Nosso personagem é uma pitoresca figura humana que se apresenta nas redes sociais com o apelido de PC Concurseiro Fiscal, que adiante chamaremos apenas de PC. As informações que temos sobre o nosso amigo PC são as seguintes:

– acabou de terminar um curso preparatório online, em que obteve uma visão geral sobre todas as disciplinas fundamentais e recorrentes nos concursos para a área fiscal de Auditor de Tributos;

– de segunda a sexta-feira, trabalha oito horas por dia (das 9h às 18h), com uma hora de almoço, residindo a 5 minutos do emprego.

– possui 26 anos de idade, faz academia três vezes por semana, joga futebol aos sábados à tarde, namora firme e não abre mão da igreja aos domingos, nem do Happy Hour com os amigos uma sexta-feira por mês;

– vive na Bahia e está se preparando para prestar todos os concursos de Auditor de Tributos Estaduais do Brasil que aparecerem, bem como para Auditor de Tributos Municipais que surgirem em capitais e grandes cidades da região Nordeste.

– é formado em Direito e tem dificuldades com matérias exatas.

O que PC deve fazer primeiro é identificar quantas horas por dia, em média, pode se dedicar aos estudos. Por que em média? Pois já sabemos que a melhor estratégia é um cronograma flexível de estudos, com possibilidade de compensações de horas perdidas, tudo isso dentro de ciclos que podem ser compostos pela quantidade de dias que melhor se adeque às suas necessidades e possibilidades. Conforme vimos, há de se preservar o lazer, o convívio familiar e com os amigos, dormir e se alimentar bem, manter atividades físicas regulares, não estudar quando estiver excessivamente cansado.

Identificadas as necessidades, vamos trazer uma ideia de rotina para PC.

Nos dias de semana, se acordar às 6h30, poderá utilizar 2 horas para estudo e 30 minutos para higiene pessoal, café da manhã e deslocamento ao trabalho. Lembre-se que é uma ótima ideia estudar o máximo possível pela manhã, quando estamos com o corpo e a mente no auge do descanso. Quando sair do trabalho, às 18h00, 3 vezes por semana, PC poderá ir à Academia mais próxima de casa, malhar por uma hora e, também, gastar uma hora para banho e jantar. Pontualmente às 20h00, retoma os estudos e vai até 23h00. Após uma ceia e uma olhada nas notícias sobre concursos, no Fórum de Concurseiros e no Grupo de Estudos do Facebook, PC vai dormir às 23h30. Para um jovem da sua idade, 7 horas de sono por dia está razoavelmente bom, mas, ele ainda dispõe de dois dias por semana em que não vai à academia e poderá, com isso, iniciar os estudos mais cedo, para dormir 8 horas e recobrar um pouco mais as energias (das 22h30 às 6h30).

Aos sábados e domingos, PC não tem expediente de trabalho. Nesses dias, pode manter as 5 horas de estudos e utilizar a grande quantidade de tempo vago para recuperar eventuais horas perdidas ao longo da semana com imprevistos, ou mesmo compensar a sexta-feira do Happy Hour em que deixou de estudar na parte da noite. Terá, ainda, tempo de sobra para passear, conviver com a família, ir à igreja, namoro, balada, futebol com os amigos e, sempre, 7 a 8 horas de sono e boa alimentação.

Claro que cada pessoa tem a sua realidade. Se você não mora perto do trabalho igual ao PC e gasta 1 hora por dia no transporte coletivo, você pode, por exemplo, aproveitar essa hora do ônibus para estudar, prolongar o seu ciclo de estudos para se dedicar 4 horas por dia, ao invés de 5, ou mesmo, ainda, manter o ciclo de 10 dias ampliando o horário de estudos aos sábados e domingos.

Planejada a agenda, basta PC montar os seus ciclos de estudo, iniciando a sua estratégia campeã pelas disciplinas fundamentais (ouro, prata e bronze) e, se não houver nenhuma peculiaridade que demande configuração diferente, começará pelo esquema 3-5-2, que significa 30%-50%-20% (vide artigo da série a respeito).  Lembrando que nosso amigo vai dedicar-se aos estudos durante 5 horas todos os dias, uma boa sugestão seriam ciclos de 50 horas, com duração de 10 dias, configurados da seguinte maneira:

Disciplinas ouro (30% das horas do ciclo): Direito Tributário (7h), Legislação Tributária – Impostos Estaduais e Municipais (8h).

Disciplinas prata: Contabilidade Geral (7h), Português (6h), Direito Constitucional (6h) e Direito Administrativo (6h).

Disciplinas bronze: Raciocínio Lógico (4h), Matemática Financeira (3h) e Estatística (3h).

Feita a divisão, basta dividir as horas ao longo do ciclo, sempre com muito cuidado para manter o revezamento entre as disciplinas e não se prolongar mais do que duas horas no estudo de uma mesma matéria. Veja só:

 

1ª hora       

2ª hora

3ª hora

4ª hora

5ª hora

1º dia

Tributário

Tributário

Constitucional

Constitucional

Legislação

2º dia

Contabilidade

Contabilidade

Legislação

Legislação

Tributário

3º dia

Português

Português

Administrativo

Administrativo

Contabilidade

4º dia

Matemática

Matemática

Constitucional

Constitucional

Tributário

5º dia

Raciocínio

Raciocínio

Contabilidade

Contabilidade

Matemática

6º dia

Estatística

Estatística

Português

Português

Legislação

7º dia

Legislação

Legislação

Administrativo

Administrativo

Estatística

8º dia

Contabilidade

Contabilidade

Tributário

Tributário

Constitucional

9º dia

Raciocínio

Raciocínio

Português

Português

Tributário

10º dia

Legislação

Legislação

Administrativo

Administrativo

Constitucional

 

Observe que o calendário não tem dias e horários fixos, mas, tão somente, horas de estudos e sequência das matérias, para que fique plenamente ajustável aos imprevistos que acontecem na vida de qualquer pessoa.

Com o progresso dos estudos, PC poderá intensificar as matérias em que tem mais dificuldades e reduzir as horas dedicadas às disciplinas em que assimilou mais rapidamente os conteúdos, bem como, gradativamente, ir substituindo as disciplinas fundamentais por outras que sejam recorrentes nos concursos para a área fiscal.

Por ter acompanhado assiduamente todos os artigos da série 10 passos, PC faz constante monitoramento e controle dos seus estudos (vide artigo a respeito), mediante resolução de exercícios para aferir a sua assimilação dos conteúdos e proceder ao controle das horas que precisa se dedicar a cada disciplina. Periodicamente, nosso amigo também fecha um balanço dos exercícios (vide artigo a respeito) e vai incluindo disciplinas recorrentes no seu cronograma de estudos.

Dez meses depois de ter iniciado os estudos, diante de sua formação jurídica e o cronograma que montou, PC sente-se absolutamente seguro para abandonar as disciplinas jurídicas (ouro e prata) e deixar apenas para revisá-las na reta final. Também consegue reduzir um pouco as cargas horárias de Língua Portuguesa e Contabilidade Geral (prata), mas, precisa redobrar a atenção com as disciplinas bronze, exceto Estatística, em que, pelo conteúdo menos extenso, obteve uma assimilação mais rápida do conteúdo. Consegue, então, adotar um novo ciclo de 50 horas, com o seguinte esquema tático de distribuição das horas:

Disciplinas prata e disciplinas jurídicas recorrentes: Português (4h) e Contabilidade Geral (4h).

Disciplinas bronze: Matemática Financeira (4h), Raciocínio Lógico (6h), Estatística (2h)

Disciplinas recorrentes: Contabilidade Avançada (6h), Administração Geral e Pública (6h), Auditoria (4h), Economia (4h), Direito Civil (4h), Direito Empresarial (3h) e Direito Penal (3h).

Com essa nova estratégia, vai adquirindo segurança nas disciplinas bronze e em Português e Contabilidade Geral. Consegue evoluir bastante, também, nas novas disciplinas, até que, após mais 8 meses (ou 1 ano e meio após ter iniciado os estudos), é obrigado a fechar um novo balanço e reformular sua estratégia, pois é autorizado o concurso para Auditor Fiscal de Tributos do Estado da Bahia, que não pode abrir mão de prestar, por ser o seu Estado. A banca também foi definida, bem como as disciplinas que constarão do edital, que pode ser publicado a qualquer momento. Certamente, não dispõe mais do que de 3 a 6 meses até a data da prova.

Leia também:

Administração dos estudos para área fiscal

Auditor de Tributos: iniciando uma estratégia campeã pelas disciplinas fundamentais

Auditor Fiscal de Tributos: uma preparação e muitas oportunidades

Analisando o edital, fica um pouco frustrado ao perceber que diversas disciplinas recorrentes estudadas ficaram de fora da prova e, pior, descobre que a banca poderá exigir a disciplina Informática Básica, uma surpresa que se lhe afigura bastante desagradável. O que diríamos a PC nesse momento? “Muita calma nessa hora, amigo. Nenhum motivo para desespero. Todas as matérias ouro e prata da sua estratégia de estudos campeã estão devidamente previstas.  Algumas recorrentes importantes também constam do edital e, das disciplinas bronze, em que você tem mais dificuldade, só vai cair Raciocínio Lógico, matéria em que você já conseguiu ficar bem craque. O teu estudo consistente e antecipado valerá a pena. É hora de manter a serenidade e rachar de estudar Legislação Tributária do Estado da Bahia (Regulamento do ICMS, Lei do ITCMD, Lei do Processo Administrativo Tributário Estadual etc), o que não será difícil, porque você já está voando em relação aos conhecimento de Impostos Estaduais”.

Devidamente tranquilizado, PC pode elaborar uma nova estratégia a partir daí, válida para os períodos pré e pós-edital. Não vamos aqui ficar distribuindo horas, pois você já entendeu como funciona o sistema de planejamento do calendário de estudos com flexibilidade e por ciclos, mas, é possível deixar algumas sugestões ao nosso amigo:

– aumentar a carga horária de estudos nos finais de semana;

– tirar férias no mês que anteceder a data da prova para intensificar os estudos nesse período sem prejuízo de alimentação, atividade física, horas de sono etc;

– rachar de estudar Informática, que não estava em seu cronograma, e Legislação Tributária do Estado da Bahia (se possível e/ou necessário, inscrever-se em um bom curso, que ofereça isoladamente essas disciplinas);

– após o edital, estudar pontos do conteúdo programático das diversas disciplinas que tenham aparecido inesperadamente no edital e não tenham sido estudados anteriormente;

– se possível, fazer um bom curso de resolução de questões e/ou devorar um livro de questões comentadas de boa qualidade.

– no mais, restringir-se à revisão dos conteúdos mais complexos e resolução de exercícios.

Como se vê, a vida daquele que se prepara para os concursos de alto rendimento da área fiscal tem que ser bastante disciplinada. Porém, pode vir a se tornar muito mais tranquila se a preparação for antecipada, consistente, baseada em um planejamento de estudos estratégico e realista, com monitoramento, controle e balanços constantes acerca da assimilação do conteúdo e sem prejuízo de todos os cuidados necessários para se manter sempre o equilíbrio físico, psicológico e emocional.

Se você assim se conduzir, no final, tudo vai dar certo. Pergunte ao Senhor Paulo César da Silva Souza, Auditor Fiscal do Estado do Ceará. Quem é ele? Ah, esqueci-me de contar que o nosso amigo PC Concurseiro Fiscal não conseguiu ser aprovado no concurso para Auditor Fiscal do Estado da Bahia (reprovações podem fazer parte da vida do concurseiro). Só que ele levantou a cabeça, seguiu confiante e se esforçando. Alguns meses depois, acabou aprovado em outro concurso que estava entre os seus objetivos.

O próximo pode ser você.

Vamos juntos!!!

*Alan Martins – Professor e coordenador da área fiscal do CERS Cursos Online. Agente Fiscal de Rendas/SP. Mestre em Direito pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Especialista em Direito Tributário. 

 

Você pode se interessar por:

CURSO COMPLETO PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS ESTADUAIS E MUNICIPAIS DE AUDITOR FISCAL DE TRIBUTOS (FISCAL DO ICMS E FISCAL DO ISS)

 

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS