TRT/MT: dicas para o cargo de Oficial Avaliador - Portal de notícias CERS

TRT/MT: dicas para o cargo de Oficial Avaliador

Por:
Atualizado em 06/01/2016 - 10:37

Língua Portuguesa – Profº Edvaldo Ferreira

Quando a banca examinadora exigir de você qual a intenção do autor com o texto escrito, procure inicialmente observar o gênero de texto. Se for um texto publicitário, a intenção do autor é PERSUADIR; se for uma notícia ou reportagem, a intenção do autor é INFORMAR; sendo um editorial, a intenção do autor é CONVENCER seu leitor. Também podemos identificar a intenção do autor com o reconhecimento do tipo de texto: sendo uma dissertação expositiva, a intenção do autor é INFORMAR o leitor; sendo uma dissertação argumentativa, a autor pretende CONVENCER seu leitor. É por isso que esses termos verbais – PERSUADIR, CONVENCER, INFORMAR, ENTRETER – são comuns nas alternativas apresentadas. Para contextualizar o verbo ENTRETER, é comum a comissão apresentar uma piada (gênero de texto). Os gêneros de texto surgem conforme a função que ocupam na sociedade. Ressalto que também se identifica a intenção do autor pelo emprego da articulação macro que ganhar relevo durante a unidade do texto, ou seja, entre os diferentes termos de coesão ao trazer fatos e ideias durante a progressão do texto, com a articulação que mais for empregada (uso reiterado), você terá a intenção do  autor. Como ilustração, imagine você encontrar durante a leitura do texto, precedendo sobretudo enunciações subjetivas, durante uma dissertação argumentativa, termos como AO CONTRÁRIO, EMBORA, POR OUTRO LADO, TODAVIA. Esses elementos de coesão indicam que a intenção do autor é se OPOR ou DESQUALIFICAR uma das  ideias ou um dos referentes trabalhados durante a unidade do texto.

Fique alerta ao emprego de orações subordinadas adjetivas e de orações subordinadas adverbiais entre o sujeito e o predicado de períodos longos. Em, por exemplo, "A rejeição que demonstra Coutinho a preconceitos sociais distingue sua obra da de outros documentaristas", o verbo DISTINGUE deve concordar com o núcleo do sujeito "rejeição". Mas há uma distância expressiva entre esses termos que demarcam a correta concordância, pois a oração adjetiva provoca esse distanciamento. Não pode o candidato estabelecer a concordância do verbo DISTINGUIR com nenhum termo da oração adjetiva. O mesmo ocorre com orações subordinadas adverbiais entre o núcleo do sujeito e seu verbo: "Um tipo de jogos a cujas complexidades os técnicos se referiram durante reunião antes do evento para defenderem ineditismo na comunidade tem aceitação considerável entre seus usuários". Se fosse empregada a flexão verbal "têm", haveria erro de concordância – o núcleo do sujeito de "tem" é a palavra "tipo", distanciada de seu verbo por orações subordinadas. É importante perceber a divisão entre as orações na hora de sua prova.

Direito Administrativo – Profº Matheus Carvalho

A readaptação é o aproveitamento do servidor em razão de uma limitação sofrida na capacidade física ou mental. O servidor será readaptado em um outro cargo, cujas funções sejam compatíveis com as limitações que sofreu em sua capacidade laboral. Na readaptação é garantida a equivalência de vencimentos, ou seja, não pode ter alteração remuneratória em virtude da readaptação.

O artigo 84, VI da CF/88 autoriza ao Presidente da República, por meio de decreto, dispor acerca da organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos e da extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos. Majoritariamente, se entende que tal dispositivo cria duas espécies de regulamentos autônomos constitucionalmente admitidas no direito brasileiro.

Noções de Sustentabilidade – Profº Frederico Amado

Para o Princípio do Desenvolvimento Sustentável, o desenvolvimento econômico não poderá ocorrer a todo custo, tendo em vista que o planeta Terra não tem uma capacidade ilimitada de suportar a poluição. É o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades. É possível afirmar que implicitamente a Constituição Federal de 1988 recepcionou este princípio no seu artigo 225 e principalmente no artigo 170. É que a Ordem Econômica, que se funda na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem como princípio a Defesa do Meio Ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação, não sendo exagero intitulá-la de Ordem Econômica Ambiental.

Na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deverá ser observada a seguinte ordem de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.

 

Sobre o concurso

O certame do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região, no Mato Grosso prevê o provimento de 16 vagas para cargos de nível médio e superior. As oportunidades contemplam os cargos de Analista Judiciário nas áreas Judiciária (CR); Administrativa (CR); e Apoio Especializado, especificamente nas especialidade Oficial de Justiça Avaliador Federal (2 vagas); Contabilidade (CR); Biblioteconomia (CR); Medicina do Trabalho (CR); Fisioterapia (CR); e Tecnologia da Informação (CR). Já para os Técnicos Judiciários as oportunidades são nas áreas Administrativas (13 vagas); Apoio Especializado – Especialidade Tecnologia da Informação (1 vaga); e Enfermagem do Trabalho (CR).

Os candidatos serão avaliados por meio de provas objetivas de conhecimentos gerais e conhecimentos específicos e discursiva – redação. A primeira etapa está prevista para o dia 21 de fevereiro de 2016, na cidade de Cuiabá. No período da manhã será aplicada para os cargos de Técnico Judiciário, e à tarde para os cargos de Analista Judiciário.

Leia também: Dicas de Direito do Trabalho para o TRT/MT

Você pode se interessar por:

CURSOS PREPARATÓRIOS PARA CONCURSOS DO TRT/MT

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS