Tortura em Goiás: Justiça acolhe pedido do MPT e bloqueia bens do casal Calabresi - Portal de notícias CERS

Tortura em Goiás: Justiça acolhe pedido do MPT e bloqueia bens do casal Calabresi

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

A juíza da 10ª Vara do Trabalho de Goiânia (GO), Maria Aparecida Prado Fleury Bariani, concedeu a liminar requerida pelo Ministério Público do Trabalho e determinou o bloqueio dos bens (imóveis, veículos e contas bancárias) do casal Sílvia e Marco Antônio Calabresi. O objetivo da autora do pedido, procuradora do Trabalho Janilda Guimarães de Lima Collo, é garantir o pagamento de uma indenização à adolescente torturada na residência da família..

A juíza determinou o bloqueio de contas bancárias até o limite de R$ 120 mil. A indisponibilidade dos bens imóveis refere-se a qualquer um em nome do casal Calabresi ou em nome de um dos cônjuges, localizados em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Trindade e em Senador Canedo. Em seu despacho, a juíza afirmou que concedia a liminar em razão do risco de o casal se desfazer dos bens, frustrando o pagamento de indenização à menina.

"Saliento que pelo depoimento da empregada doméstica Vanice perante o Ministério Público do Trabalho, foi efetivada a venda de um veículo de Sílvia Calabresi, antes mesmo de sua prisão, o que só aumenta o perigo de que a demora da decisão venha a frustrar pagamentos de direitos porventura reconhecidos nas ações judiciais", afirmou a juíza.

Segundo a procuradora Janilda Collo, o caso deve investigado, processado e julgado como exploração de trabalho escravo infantil doméstico. Além do bloqueio dos bens, a procuradora do Trabalho solicitou que a Polícia Federal instaure inquérito para apurar a denúncia. A procuradora já conversou com a menina torturada e quer agora ouvir a empresária e a doméstica, que estão presas, e também os pais da adolescente.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Procuradoria Geral do Trabalho (PGT)

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS