Questões comentadas: concurso Banco do Brasil - Portal de notícias CERS

Questões comentadas: concurso Banco do Brasil

Por:
Atualizado em 15/09/2015 - 18:25

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS – Profº Rodrigo Barbati

(Cesgranrio – 2015 – BB – Escriturário) A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é um órgão que regula e fiscaliza o mercado de capitais no Brasil, sendo

A) subordinada ao Banco Central do Brasil.

B) subordinada ao Banco do Brasil.

C) subordinada à Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA).

D) independente do poder público.

E) vinculada ao poder executivo (Ministério da Fazenda).

Comentários: “e”  – A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, instituída pela Lei 6.385/1976. A CVM é responsável por regulamentar, desenvolver, controlar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários do país.

ATENDIMENTO – Profº Rodrigo Barbati

(Cesgranrio – 2015 – BB – Escriturário) Uma forma de aumentar o valor percebido pelos clientes nos serviços bancários é diminuir o conjunto de custos envolvidos na relação com os bancos. Nesse sentido, durante o atendimento aos clientes nas agências bancárias, os funcionários devem dedicar-se a

A) empurrar produtos, como seguro de vida, para os melhores clientes.

B) explicar os aspectos dos serviços sob a ótica da instituição financeira.

C) igualar os benefícios e os custos envolvidos no processo de compra.

D) prestar um serviço com baixo valor percebido pelos correntistas.

E) reduzir o dispêndio de tempo e a energia gasta pelos clientes.

Comentários:  “e”  – Segundo Philip Kotler, o valor percebido pelo cliente é o resultado da diferença entre o valor total esperado (benefício) e o custo total envolvido na transação. O valor percebido ideal é aquele que maximiza os benefícios que os clientes mais valorizam e simultaneamente busca reduzir os custos inerentes ao processo de compra.

TÉCNICA DE VENDAS – Profº Rodrigo Barbati

(Cesgranrio – 2014 – BB – Escriturário) O processo de vendas tem-se transformado, ao longo do tempo, em função da crescente competição existente no mercado entre empresas de mesmo setor. Em função disso, o foco da administração de vendas também mudou. Hoje, em função do mercado, o foco dessa área é no (a)

A) produção, estabelecendo metas de vendas que ultrapassem sua capacidade produtiva.

B) orçamento, proporcionando a expectativa de ganhos futuros em função das vendas a serem realizadas.

C) cliente, avaliando suas necessidades e expectativas em relação aos produtos ofertados.

D) território de vendas, delimitando assim a atuação de cada vendedor, que concentrará seus esforços na área para ele determinada.

E) vendedor, visando a aumentar os ganhos do profissional, já que seu salário é a comissão sobre as vendas realizadas.

Comentários: “c”  – A administração de vendas  tinha como objetivo  somente vender  (foco na transação), mas este conceito mudou, e passou a focar o cliente, em avaliar quais são suas reais necessidades, o que a organização pode fazer para ajudá-lo, bem como no atendimento pré-venda e pós-venda, para assim conseguir a sua fidelização (foco no relacionamento).

LÍNGUA PORTUGUESA – Profº Edvaldo Ferreira

(Cesgranrio) A palavra a, na língua portuguesa, pode ser grafada de três formas distintas entre si, sem que a pronúncia se altere: a, à, há. No entanto, significado e classe gramatical dessas palavras variam.

A frase abaixo deverá sofrer algumas alterações nas palavras em destaque para adequar-se à norma-padrão.

A muito tempo não vejo a parte da minha família a qual foi deixada de herança a fazenda que todos devotavam grande afeto.

De acordo com a norma-padrão, a correção implicaria, respectivamente, esta sequência de palavras:

       (A) – a – à – há – à         (B) À – à – a – a – a

       (C) Há – a – à – a – a      (D) Há – à – à – a – a

       (E) Há – a – a – à – à

Comentários: A resposta é a letra C, pois no início do período temos contextualizado tempo decorrido, exigindo a substituição de “A muito tempo” por “Há muito tempo”.  Isso já elimina duas alternativas: A e B. O verbo VER é transitivo direto, não permitindo preposição logo em seguida. Com isso, “a parte da minha família” recebe apenas artigo, não permitindo acento grave. Mais uma alternativa foi eliminada: a D. Empregue o acento grave antes do pronome relativo “qual”, porque a locução verbal libera a preposição “a” que se funde com o artigo antes desse pronome relativo, retomando “família”. Com isso, eliminamos a letra E. O termo “a fazenda” não recebe acento grave, pois é sujeito. E preposição não se integra ao sujeito. Antes do pronome relativo “que” não se usa acento grave. Letra C, portanto, é a resposta.

Você pode se interessar por:

BANCO DO BRASIL –  CONCURSO PARA ESCRITURÁRIO (TEORIA E QUESTÕES)

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS