Preocupação financeira compromete boas escolhas profissionais - Portal de notícias CERS

Preocupação financeira compromete boas escolhas profissionais

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Por Ana Laranjeira       

Estudos apontam que ter dívidas deixa as pessoas menos concentradas e dificulta a tomada de decisões importantes para a carreira, como estudar para o aperfeiçoamento profissional, batalhar uma promoção ou mudar de emprego. O psicólogo Eldar Shafr, da Universidade Princeton, e o economista Sendhil Mullainathan, da Universidade Harvard, uniram seus campos de conhecimento para escrever o livro Scarcity: Why Having Too Little Means So Much (“Escassez: por que ter muito pouco significa tanto”, ainda sem tradução no Brasil).

Em seus estudos, eles afirmam que “Focar em apenas uma coisa significa que seremos negligentes com outras. (..) Nosso cérebro se orienta automaticamente e de maneira muito forte para nossas necessidades não atendidas”. Ou seja, a carteira vazia e suas consequências, como pensar nas dívidas, nas parcelas do cartão de crédito e nos bens que você (ainda) não pode pagar, podem sugar toda a sua energia e concentração para tomar decisões e agir na transformação desta realidade. Como em um ciclo vicioso.  

Isso acontece por causa de um efeito que os autores batizaram de tunneling, quando se presta tanta atenção em um assunto que se deixa de perceber tudo o que não se refere diretamente a ele. Para exemplificar esse ponto, Eldar e Sendhil recorrem a um estudo sobre os efeitos da fome. Depois de deixar um grupo de voluntários com uma dieta altamente restritiva, os pesquisadores notaram que seus pensamentos se voltavam para a comida até nas situações mais improváveis. “Quando assiste a um filme, você não se interessa pelas cenas de amor, mas presta atenção em todas as vezes que os personagens comem e no que eles comem”, comentou um dos voluntários.

Obsessão
O excesso de foco na dificuldade pode fazer com que o candidato perca o poder de analisar as alternativas disponíveis. Os autores citam o caso de quem pega um empréstimo com juros altíssimos na tentativa de se livrar de outra dívida e acaba se afundando mais. “As pessoas se comportam de forma míope”, dizem os autores.

Aprender a lidar com os obstáculos financeiros de modo que eles não inviabilizem seus demais planos é fundamental. O problema, segundo Eldar e Sendhil, é que em situações de escassez nós nem sempre conseguimos escolher quando nossa mente vai se prender ao assunto. É isso que acaba derrubando o desempenho nos estudos.

O lado bom     
Nem sempre esse fenômeno é absolutamente negativo. Voltar toda a atenção para um problema pode até ser bom em algumas situações. É por isso, por exemplo, que, quando a data da prova do concurso se aproxima, o concurseiro tende a se tornar mais produtivo.

Com o dinheiro, acontece a mesma coisa: quando os compromissos financeiros se tornam obstáculos à concretização de nossos planos, tendemos a encontrar formas mais criativas de lidar com eles. Os cursos online, por exemplo, são uma alternativa para quem precisa estudar com custos reduzidos. Os preparatórios em EAD (Ensino à Distância) possuem, cada vez mais, professores especializados e qualificados, recrutados de várias partes do país, com valores reduzidos. O importante é tentar o equilíbrio emocional e avaliar as opções.

Portanto, esqueça o vermelho da conta bancária e foque nos estudos!

Você também pode se interessar por:

Aposentadoria no funcionalismo público vale a pena? – Revista Edital 12ª edição – Versão Light

 

 

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS