Mais de 2,6 mil vagas para PRF até 2013 - Portal de notícias CERS

Mais de 2,6 mil vagas para PRF até 2013

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Por Ana Laranjeira       
Com informações da Folha Dirigida

Em entrevista, o coordenador-geral de Recursos Humanos da Polícia Rodoviária Federal (PRF), inspetor Adriano Furtado, afirmou que o departamento tem o objetivo de preencher, até o fim de 2013, os 13.098 cargos que compõem a carreira de policial rodoviário federa. Isso significa que quem espera por uma chance de se tornar um policial rodoviário federal já conta com boas perspectivas de ver abertas novas oportunidades em médio prazo.

Segundo Furtado, grandes eventos, a exemplo da Copa do Mundo e das Olimpíadas, vem gerando a necessidade da implementação dessas contratações para absorver as demandas de trabalho e suprir um quadro já deficitário. A perspectiva da PRF é abrir nos próximos dois anos mais de 2.600 vagas no cargo, que proporciona estabilidade e uma remuneração inicial de R$6.108,95 (incluindo auxílio alimentação de R$304).

De acordo com o plano de ação apresentado ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em abril, pela diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento, o departamento conta com 9.133 policiais para realizar o patrulhamento dos mais de 66 mil quilômetros de rodovias federais do país, o que dá uma média de um policial a cada sete quilômetros, aproximadamente.

Com o ingresso dos 216 convocados para o curso de formação concluído este mês (conforme autorização para nomear excedentes do concurso aberto em 2008, para vagas no Pará e Mato Grosso, concedida em junho pela presidente Dilma Rousseff) e com a possibilidade de contratação de até 1.125 aprovados por meio do concurso que está prestes a ser retomado (incluindo os 50% sobre a oferta original, de 750 vagas, como permite a lei), pelo menos 2.624 vagas precisarão ser oferecidas em novos concursos, para que o objetivo de ocupar todos os cargos ociosos seja alcançado.

Possibilidade de concurso já em 2012   
Na apresentação do plano de ação do departamento – que destaca como uma das ações mais relevantes a busca pela manutenção contínua do quadro de pessoal -, um dos temas que despertou interesse especial do ministro Cardozo foi a recomposição anual do efetivo do órgão, segundo divulgou a própria Assessoria de Comunicação Social da PRF.

Entretanto, como explicou Furtado, a abertura de um novo concurso já em 2012 dependerá da retomada e conclusão da seleção que foi interrompida no fim de 2009 devido à fraude no resultado das provas objetivas. “Possibilidade há. Mas as coisas têm que funcionar de maneira harmônica para que, eventualmente, ocorra uma situação nesse sentido”, disse o coordenador de RH da PRF, levando em consideração o fato de que uma nova seleção só poderá ser aberta após o fim do prazo de validade da atual, que será de um ano, havendo ainda a possibilidade de prorrogação por igual período, a critério da administração.

A continuidade do concurso de 2009 depende, no momento, da aprovação por parte da Advocacia-Geral da União (AGU) de um acordo proposto pela FunRio (organizadora afastada da seleção), o que pode acontecer nos próximos dias, e da obtenção de previsão orçamentária para realizar as etapas restantes a partir da contratação de uma nova organizadora, uma vez que a proposta feita pela fundação não prevê o repasse dos valores arrecadados com as inscrições dos candidatos.

Outro fator que pode viabilizar a realização de um novo concurso já no ano que vem é o aproveitamento integral do banco de aprovados antes do fim da vigência da seleção. Nesse sentido, caso a PRF consiga, ainda em 2012, a autorização para convocar mais aprovados até o limite de 50% sobre as 750 vagas oferecidas, como é permitido, restarão apenas 375 candidatos aguardando serem chamados, já que ao longo do processo seletivo serão eliminados os classificados além de duas vezes o número inicial de vagas.

O aproveitamento desses excedentes poderá se dar a partir de autorização presidencial, como aconteceu com os classificados além do número de vagas no concurso para o Pará e Mato Grosso, tendo em vista a grande necessidade de pessoal do órgão. O número de remanescentes pode ser ainda menor se algum aprovado dentro do número de vagas, por qualquer motivo, ficar impedido de tomar posse no cargo.

Também pode contribuir para agilizar a abertura de uma nova seleção o fato do ministro José Eduardo Cardozo ter anunciado durante o lançamento do Plano Estratégico de Fronteiras, no início de junho, que serão preenchidos cargos de policial rodoviário federal, assim como de policial federal, por meio de concursos, com os aprovados sendo lotados nas fronteiras, o que, a princípio, não seria feito por meio do concurso atual, que tem as vagas distribuídas por diferentes estados, inclusive fora das regiões fronteiriças.

Furtado não informou quantas vagas podem ser oferecidas em uma eventual seleção no ano que vem, mas independentemente disso e até mesmo de quando será, realmente, realizado o próximo concurso, o fato é que se depender do objetivo da PRF, ao menos 2.600 oportunidades serão abertas em um futuro próximo. “Nós temos que chegar aos 13.098 antes da Copa do Mundo. Essa é a nossa meta”, ressaltou o inspetor.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS