Lojas Riachuelo exigem que empregados deixem estabelecimento pela porta dos fundos - Portal de notícias CERS

Lojas Riachuelo exigem que empregados deixem estabelecimento pela porta dos fundos

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Em procedimento preparatório de instauração de inquérito civil público, o procurador do Trabalho Fábio Romero Aragão Cordeiro, do Ofício de Mossoró (RN), constatou atitude discriminatória de uma das maiores empresas de comércio varejista do País. As Lojas Riachuelo exigem de seus empregados que, ao final do expediente, deixem o ambiente de trabalho pela porta dos fundos.

O procedimento foi originado a partir de representação do Sindicato dos Empregados no Comércio de Mossoró, dando conta da insatisfação dos empregados com a postura da empresa. Na opinião do procurador do Trabalho, a conduta da Riachuelo agride a dignidade do trabalhador como pessoa humana.

"Ao deixar seu ambiente de trabalho pela porta dos fundos, o empregado sente-se inferior por não poder dispor dos mesmos caminhos utilizados pelos clientes. Esse fato é inadmissível, já que todas as pessoas têm o mesmo valor, não podendo ser tratadas diferentemente em razão de sua condição ou origem econômica", afirmou o procurador Fábio Romero.

O Ministério Público do Trabalho propôs às Lojas Riachuelo um ajustamento de conduta, concedendo-lhe prazo de 30 dias para aceitação ou não. Ultrapassado esse prazo, e caso a empresa não concorde em ajustar sua conduta, o Ministério Público do Trabalho ajuizará as ações judiciais necessárias à correção dessa grave irregularidade.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Procuradoria Regional do Trabalho da 21ª Região (Rio Grande do Norte)

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS