Faça boas escolhas para o seu dinheiro - Portal de notícias CERS

Faça boas escolhas para o seu dinheiro

Por:
Atualizado em 05/08/2016 - 17:06

Tranquilidade e liberdade financeira. Quem não deseja? Mesmo quem almeja a simples manutenção do seu estilo de vida precisa preocupar-se com a sua renda. Aos universitários, concurseiros ou funcionários públicos que desejam cuidar bem do seu dinheiro  precisam equilibrar as dívidas.

De acordo com Gustavo Cerbasi, administrador, escritor, palestrante, consultor financeiro e professor do CERS Corporativo, saber lidar bem com seu dinheiro é uma prática cidadã. “Quem evita gastos desnecessários (principalmente com juros das dívidas) tem mais dinheiro para o consumo útil. Os benefícios, nesse caso, ocorrem em cadeia. Ao aquecer a economia, beneficiamos comerciantes, distribuidores e produtores. Isso gera mais empregos, aumenta a arrecadação de impostos e, consequentemente, os recursos do governo para dar apoio aos cidadãos em várias áreas”, afirma. Os pontos positivos de manter a organização na sua vida financeira vão além da seara pessoal.

Quer fazer boas escolhas para o seu dinheiro? Confira 4 dicas exclusivas de Gustavo Cerbasi que vão otimizar a organização das suas finaças:

1) Planejamento financeiro não é sinônimo de cortar gastos e fazer poupança. Planejar as finanças significa obter mais qualidade de consumo, mais produtividade e realização pessoal no uso do dinheiro. Isso envolve gastar de maneira recompensadora e sustentável, poupar de maneira eficiente o mínimo necessário para que o bom padrão de consumo não falte amanhã.

2) Tempo não é a mesma coisa que dinheiro. São riquezas distintas, que, somadas e bem usadas, dão novo sentido ao conceito de prosperidade. É a utilidade que damos a nosso tempo e a nosso dinheiro que nos faz mais ricos. Tempo bem usado pode nos fazer ganhar mais dinheiro. Tempo mal aproveitado pode custar muito dinheiro, enquanto uma boa dedicação de tempo ao nosso corpo e à nossa mente pode gerar benefícios, sem necessariamente custar algo.

3) Calcule sua renda líquida mensal e os gastos realizados no último mês. Separe-os em grupos, como alimentação, saúde, moradia e lazer. Caso não tenha o registro de todas as despesas realizadas nesse período, inicie um monitoramento de entradas e saídas de dinheiro durante os próximos 30 dias, arquivando diariamente os comprovantes em uma pasta. O plano de ação para melhorar o orçamento deverá ser iniciado após essa análise.

4) Faça uma lista com as metas e objetivos pessoais que você pretende alcançar nos próximos seis meses, em um ano e após cinco anos. Indique também quanto precisará poupar para alcançá-los.

Lembre-se: consumo de qualidade é gastar mais dinheiro com o que nos dá prazer (como lazer e confortos cotidianos), e menos com aspectos burocráticos e onerosos da vida (como despesas com moradia e carro). Investir com inteligência é desenvolver continuamente a sagacidade de se defender contra as oscilações da economia e de encontrar oportunidades de dar pequenos saltos na evolução do patrimônio.

Leia também: 7 pessoas que vão inspirar sua carreira

Onde você se vê daqui a 10 anos?

Saiba mais: https://cerscorporativo.com.br/curso/prosperando-na-carreira-publica

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS