Em alta: Carreiras na Polícia ? Parte IV - Portal de notícias CERS

Em alta: Carreiras na Polícia ? Parte IV

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

 

Por Ana Laranjeira

Hoje, as carreiras em foco são aquelas trilhadas dentro das FORÇAS ARMADAS Brasileiras (Exército, Marinha e Aeronáutica). Conheça as previsões de concursos para estas instituições e mais detalhes sobre o trabalho executado pelos órgãos.

Durante a última semana, outras matérias da série abordaram os seguintes temas:

CONFIRA AQUI A Parte I DA NOSSA SÉRIE – Polícia Civil

CONFIRA AQUI A Parte II DA NOSSA SÉRIE – Polícia Militar

CONFIRA AQUI A Parte III DA NOSSA SÉRIE – Polícia Rodoviária Federal

 

Vamos começar analisando a estrutura das Forças Armadas do Brasil:

As Forças Armadas são forças federais subordinadas ao Ministério da Defesa e formadas pelo Exército (incluindo a Aviação do Exército), pela Marinha (incluindo os Corpo de Fuzileiros Navais e a Aviação Naval) e pela Força Aérea. Todas são instituições nacionais permanentes e regulares, e têm como missão constitucional zelar pela defesa da Pátria, a garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa destes, da lei e da ordem.

O Exército Brasileiro é responsável pelas operações militares em terra, com uma força de cerca de 235 mil soldados.

A Força Aérea Brasileira é a responsável direta pela defesa aeroespacial do território brasileiro. Foi formada quando as unidades aéreas do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil foram unificadas em uma única força militar, inicialmente chamada “Força Aérea Nacional”. As unidades unificadas transferiram seus equipamentos, instalações e pessoal para a nova força armada. A FAB é a maior força aérea na América Latina.

A Marinha do Brasil é a força militar responsável pelas operações navais e pela guarda de águas territoriais brasileiras. É a mais antiga das Forças Armadas brasileiras, e a maior marinha da América Latina, uma das poucas marinhas do mundo a operar um porta-aviões, o NAe São Paulo de 27.307 toneladas. Também possui fragatas, corvetas, navios patrulha oceânicos e costeiros, navios tanque, de desembarque de tropas e de blindados, submarinos e muitas outras embarcações fluviais e costeiras, além de helicópteros e caças Skyhawk.

A Marinha também possui um grupo de elite de forças especiais, especializado em retomar navios e instalações navais, o Grupamento de Mergulhadores de Combate. Esta unidade é especialmente treinada para proteger as plataformas petrolíferas brasileiras ao longo de sua costa. A força também inclui o Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil e a Aviação Naval.

CONCURSOS

Marinha I         
A Marinha prorrogou as inscrições do concurso público para 58 vagas para médicos em diversas especialidades e é possível se inscrever até hoje (18 de setembro). O salário ainda não foi informado. Os aprovados farão curso no Centro de Instrução Almirante Wanderkolk (CIAW), no Rio de Janeiro.

As vagas são para médicos nas especialidades de anestesiologia, cancerologia, cardiologia, cirurgia cardíaca, cirurgia geral, cirurgia torácica, cirurgia vascular, clínica médica, dermatologia, endocrinologia e metabologia, geriatria, ginecologia e obstetrícia, infectologia, medicina intensiva, medicina nuclear, nefrologia, neurocirurgia, neurologia, oftalmologia, ortopedia e traumatologia, otorrinolaringologia, patologia clínica, pediatria, pneumologia, psiquiatria, radiologia, radioterapia, reumatologia e urologia.

Para participar da seleção, os candidatos devem ter nível superior e menos de 36 anos no primeiro dia do mês de janeiro de 2013.

O Curso de Formação de Oficiais (CFO) tem a duração de 39 semanas e é constituído por um período de adaptação, de aproximadamente 2 semanas, e uma etapa básica. O curso será realizado no Centro de Instrução Almirante Wanderkolk (CIAW), no Rio de Janeiro. Durante o curso, o guarda-marinha receberá remuneração de acordo com sua graduação, como previsto na Lei de Remuneração dos Militares, além de alimentação, uniforme, assistência médico-odontológica, psicológica, social e religiosa. Durante o CFO, o candidato fará um estágio de aplicação, com duração de até 6 semanas.

O ingresso no Corpo Naval ocorrerá no posto de primeiro-tenente. Antes de completar 5 anos da nomeação ao oficialato, os oficiais serão avaliados para determinar sua permanência em caráter definitivo na Marinha.

As inscrições devem ser feitas pelo site www.ingressomarinha.mar.mil.br. A taxa é de R$ 45.

A seleção inicial é composta por prova escrita de conhecimentos profissionais, redação, inspeção de saúde, teste de aptidão física, verificação de dados biográficos (fase preliminar) e prova de títulos. Após essa etapa, os aprovados seguem para o curso de formação de oficiais, composto pelas fases de período de adaptação, verificação de documentos, avaliação psicológica, verificação de dados e curso de formação propriamente dito.

A data da prova ainda será divulgada. O exame será aplicado, das 10h15 às 14h15, nas cidades do Rio de Janeiro, Vila Velha (ES), Salvador, Natal, Olinda, Fortaleza, Belém, São Luís, Rio Grande (RS), Porto Alegre, Florianópolis, Ladário (MS), Brasília, São Paulo e Manaus.

Marinha II        
A Marinha abriu concurso para 80 vagas no Quadro Técnico de Praças da Armada no Corpo de Praças da Armada 2012.

Na área eletroeletrônica são 35 vagas para técnico em automação industrial; técnico em eletroeletrônica; técnico em eletromecânica; técnico em eletrônica; técnico em eletrotécnica; técnico em eletrotécnica naval; e técnico em mecatrônica.

Na área mecânica são 45 vagas para técnico em manutenção automotiva; técnico em mecânica; técnico em mecânica naval; técnico em mecatrônica; e técnico em refrigeração e climatização.

O candidato deve ser do sexo masculino; ter 18 anos completos e menos de 25 anos de idade no primeiro dia do mês de janeiro de 2013; ter concluído ou estar concluindo o curso técnico de nível médio relativo à área técnica à qual concorre.

A atribuição principal das Praças do Corpo de Praças da Armada (CPA) é o guarnecimento dos navios, submarinos e aeronaves da Marinha para a execução de tarefas relativas à operação e manutenção de equipamentos e sistemas, à conservação de compartimentos e materiais e da participação em serviços gerais e específicos nos meios navais.

O Quadro Técnico de Praças da Armada (QTPA) é um dos Quadros de Praças do CPA. Os praças que ingressarem no QTPA serão preparados e capacitados para atuar na operação e manutenção de submarinos. Para a carreira de praças do QTPA, pela legislação em vigor, a primeira graduação é a de terceiro-sargento e a última é a de suboficial. Após o ingresso na Marinha, será atribuída ao militar uma especialidade técnica que corresponde à formação profissional do praça.

O curso de formação tem o propósito de capacitar o aluno para exercer suas atividades profissionais na Marinha, dentro de uma especialidade, inicialmente como terceiro-sargento. O curso será composto de Curso de Formação de Sargentos (C-FSG), com duração de cerca de 31 semanas; e Curso de Aperfeiçoamento (C-Ap) , com duração de cerca de 28 semanas.

O período de adaptação, integrante do C-FSG, é a etapa inicial do curso e tem o propósito de adaptar e preparar os alunos para as atividades administrativas e acadêmicas a serem desenvolvidas durante o curso de formação. Após concluir o período de adaptação, o candidato será matriculado no C-FSG.

Inicialmente, o candidato será matriculado no C-FSG, como praça especial, aluno do Curso de Formação de Sargentos (AFSG), com grau hierárquico equivalente ao de cabo, e ao lograr a aprovação no curso, será nomeado terceiro-sargento do QTPA.

Durante o C-FSG os alunos serão submetidos a uma inspeção de saúde e uma avaliação psicológica específicas para as atividades especiais em submarino, que terão caráter eliminatório.

Ao final do C-FSG os alunos, por ordem de classificação, farão a opção por uma especialidade. Os alunos da área técnica de eletroeletrônica optarão por comunicações interiores ou eletricidade. Os alunos da área técnica de mecânica optarão por máquinas ou motores.

A seguir, o aluno será matriculado no Curso de Aperfeiçoamento (C-Ap), o qual o capacitará a exercer suas atividades profissionais na Marinha na especialidade para a qual foi indicado pela Administração Naval. Concluído o C-Ap, o candidato será matriculado no Curso de Subespecialização de Submarinos para Praças que terá duração de cerca de 24 semanas, o qual o capacitará para o exercício de atividades em submarinos.

As inscrições devem ser feitas até 30 de setembro pelos sites www.ensino.mar.mil.br ou www.ingressonamarinha.mar.mil.br. A taxa é de R$ 25.

O concurso terá provas escritas objetivas de conhecimentos profissionais, redação, inspeção de saúde, teste de aptidão física, verificação de dados biográficos, verificação de documentos e avaliação psicológica.

A prova escrita de conhecimentos profissionais e redação será nas cidades do Rio de Janeiro, São Pedro da Aldeia-RJ, Vila Velha-ES, Salvador, Natal, Olinda-PE, Fortaleza, Belém, São Luís, Rio Grande-RS, Porto Alegre, Florianópolis, Ladário-MS, Brasília, São Paulo, Manaus e Santos-SP, em data a ser definida.

Aeronáutica I   
O Ministério do Planejamento autorizou em junho deste ano a realização de concurso público para a Aeronáutica, com 135 vagas.

A portaria n° 254 autoriza concurso público para controlador de trafego aéreo do Grupo de Defesa Aérea e Controle de Trafego Aéreo – Dacta do Comando da Aeronáutica. O cargo exige nível superior.

A responsabilidade pela realização do concurso público será do comandante da Aeronáutica, a quem caberá baixar as respectivas normas, mediante a publicação de editais, portarias ou outros atos administrativos.

O prazo para a publicação do edital de abertura do concurso público será de até seis meses, contado a partir da publicação da portaria.

Aeronáutica II 
Com decisão mais recente, em agosto deste ano o Ministério do Planejamento autorizou a realização de dois concursos públicos para o total de 254 vagas na Aeronáutica.

A portaria nº 358 autoriza concurso para 13 vagas de professor da carreira de magistério superior, do quadro de pessoal do comando da Aeronáutica, com lotação no Instituto Tecnológico de Aeronáutica. O cargo exige nível superior.

A portaria nº 359 autoriza a realização de concurso público destinado ao provimento de 241 vagas das carreiras de pesquisa, de desenvolvimento tecnológico e de gestão, planejamento e infraestrutura em ciência e tecnologia, pertencentes ao quadro de pessoal do comando da Aeronáutica (Comaer).

São 19 vagas para analista júnior (nível superior), 28 para tecnologista júnior (nível superior), 21 para tecnologista pleno (nível superior), 9 para pesquisador assistente (nível superior), 60 para assistente em ciência e tecnologia (nível médio) e 104 para técnico (nível médio).

O provimento dos cargos dependerá de prévia autorização do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, condicionada à declaração do respectivo ordenador de despesa sobre a adequação orçamentária e financeira da nova despesa com a Lei Orçamentária Anual e sua compatibilidade com a Lei de Diretrizes Orçamentárias, demonstrando a origem dos recursos a serem utilizados.

O prazo para publicação de edital de abertura para realização de concurso público será de até 6 meses contado da data de publicação da portaria.

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS