Concurso PRF: candidatos querem mais tempo para estudar - Portal de notícias CERS

Concurso PRF: candidatos querem mais tempo para estudar

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Postado por Ana Laranjeira      
Fonte: Folha Dirigida | Anderson Borges

Serão abertas às 10h da próxima segunda-feira, dia 24, as inscrições do concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF), para mil vagas de policial rodoviário federal (50 delas para pessoas com deficiência), que tem remuneração inicial de R$6.479,81 e reajustes já acertados para 2014 e 2015. O cargo é destinado a quem possui o ensino superior completo em qualquer área (inclusive tecnólogo) e carteira de habilitação, na categoria B ou superior. O concurso é nacional, para lotação dos classificados, preferencialmente, nas regiões de fronteira, como informou a PRF. Segundo o departamento, existe a possibilidade de todos os estados receberem aprovados, mas isso vai depender do resultado do remanejamento interno dos atuais policiais, que será feito antes da convocação dos concursados para a escolha da vaga (conforme a classificação).

CLIQUE AQUI E PREPARE-SE COM O CERS PARA ESTE CONCURSO!

As provas objetivas e discursiva estão previstas para 11 de agosto, em todas as capitais. Além delas, a seleção inclui exame de capacidade física, avaliações de saúde, psicológica e de títulos, investigação social e curso de formação profissional. A intenção da PRF é contar com os novos policiais já para o período da Copa do Mundo de futebol, que será disputada de junho a julho do ano que vem. Com isso, os novos policiais já deverão ingressar com inicial de R$6.791,25, que é o valor previsto para vigorar em janeiro de 2014. Em janeiro de 2015, o contracheque passará para R$7.092,91, conforme acordo feito com o governo federal. Em todos os valores (inclusive no atual) está incluído o auxílio-alimentação, de R$373.

Embora o edital do concurso estabeleça carga de trabalho de 40 horas semanais, os policiais rodoviários federais, em geral, cumprem escala de revezamento, de 24 por 72 horas, como destacou a própria PRF, em nota sobre a publicação do edital. Para aqueles que forem para as fronteiras, está em analise no Congresso Nacional a criação de uma indenização de até R$2 mil por mês, aproximadamente (R$91 por dia de trabalho). Segundo a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) , acredita-se que até a nomeação dos concursados a proposta já estará convertida em lei.

A FenaPRF informou que, em função da carência de pessoal, já está trabalhando para dobrar o número de vagas, possibilidade viável com a aprovação dos classificados em até duas vezes o número de vagas, conforme o Decreto 6.944/09. A autorização para a convocação de até 50% aprovados a mais (500) cabe ao Ministério do Planejamento. A partir desse quantitativo, a permissão deve ser concedida por meio de decreto presidencial. Os excedentes poderão ser chamados ao longo da validade do concurso, de um ano, podendo dobrar. Os interessados deverão se inscrever no site do Cespe/UnB (organizador), até as 23h59 do dia 8 de julho. O pagamento da taxa, de R$150, poderá ser feito até o dia 19 do mesmo mês. Os pedidos de isenção serão recebidos dentro do prazo de inscrição, seguindo os critérios estabelecidos no edital.

Serviço    
Inscrições: www.cespe.unb.br/concursos/DPRF_13/

Candidatos querem mais tempo de estudo      
Os futuros candidatos ao concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram surpreendidos pelo pouco tempo que terão para estudar para a prova, já que o edital foi publicado no último dia 12, e a realização da avaliação objetiva e discursiva será no dia 11 de agosto. Embora a corporação esteja respeitando o Decreto nº6.944/09, que estabelece que os editais devem ser publicados 60 dias antes da prova, os que estão se preparando para o concurso acham o tempo muito curto devido à complexidade da seleção, que abrange diversas disciplinas, e às alterações ocorridas em relação à seleção anterior. O valor da taxa de inscrição, R$150, considerado alto, foi outro ponto criticado pelos concurseiros.

Sandro Rodrigues, que está prestando concurso para a PRF pela primeira vez, se assustou com o curto prazo que terá para estudar todo o programa. “É a primeira vez que eu estou fazendo prova. Pensei que fosse ter até novembro para me preparar. Isso realmente, para mim, foi assustador. Vamos ter quer ir para o tudo ou nada”, lamentou. Leonardo Loureiro acreditava que a PRF fosse conceder um prazo maior para realização das provas. “Pra mim o prazo é muito curto. Quem quer passar já deveria estar estudando há pelo menos um ano, mas como a gente tem pouco tempo por conta do trabalho, acaba deixando tudo para última hora. Acho que a PRF poderia dar um prazo maior, de 90 dias, pelo menos”, afirmou. Segundo ele, a taxa de inscrição também poderia ter mais acessível a todos. “Eu esperava que fosse até R$100”, completou.

 

A química Luciane Carlos, que também vai concorrer a uma vaga de policial rodoviário, disse que a antecipação dos prazos atrapalhou a programação de quem esperava pela seleção. Ela espera que a PRF possa rever este curto tempo concedido para os estudos. “A previsão inicial era de que o edital sairia em outubro. Com a antecipação do edital, a data do concurso desandou.”  Já o candidato Fernando Ferreira acredita que o curto prazo só será benéfico para aqueles que já estavam estudando há muito tempo. “Foi surpreendente. Com o curto prazo de estudo, as chances de alguém que começou a se preparar há pouco tempo vão ser menores”, afirmou Fernando, que criticou também a taxa, de R$150. “Esse valor é totalmente absurdo, já que a média para concursos como este é mais baixa”, finalizou.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS