Como vencer a relação candidatos por vaga dos concursos - Portal de notícias CERS

Como vencer a relação candidatos por vaga dos concursos

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

 

Postado por Ana Laranjeira                  
Fonte: G1 – Pela colunista Lia Salgado

Concursos públicos costumam ter uma concorrência muito alta. Em muitos casos, a proporção é de centenas ou até de milhares de candidatos para cada vaga. Para quem está nesta disputa, é preciso muita autoestima para acreditar na possibilidade de conquistar uma das vagas ofertadas. Ou uma boa estratégia. Ou ambas as coisas.

Os anúncios de concursos com altos salários ou com elevado número de vagas atraem muita gente, mas a grande maioria dessas pessoas apenas se inscreve no processo seletivo atraída pela oportunidade. Na verdade, um percentual pequeno está realmente disposto a trabalhar por isso, ou seja, dedicar tempo de estudo para conquistar a aprovação. Mesmo do grupo que estuda, a maioria inicia a preparação a partir da publicação do edital. O que parece natural, porque é preciso saber o que estudar: o conteúdo programático que será cobrado na prova.

A quantidade de matérias é muito grande e o tempo entre o edital e a prova, curto (em torno de dois meses). E, se tanta gente busca a mesma coisa, é importante diferenciar-se da massa. Nesse caso, a solução é estudar antes mesmo da publicação do edital. De que forma? A partir de matérias que muito provavelmente serão cobradas no leque de concursos que o candidato almeja – as disciplinas básicas daquela área. Por isso é tão importante escolher uma área de atuação no serviço público e conhecer quais disciplinas costumam cair nas provas de acesso àquelas vagas.

Outro fator importante é acompanhar as notícias de concursos para saber quando fechar mais o foco e intensificar o estudo, avaliando se é o momento de incluir disciplinas específicas do edital que estiver para ser publicado.

Também é interessante acompanhar editais em outras regiões do país – mesmo que não vá prestar aquele concurso – para perceber a tendência de assuntos cobrados para o cargo e evitar surpresas na publicação do edital de interesse.

Assim, concursos para tribunais, por exemplo, mantêm relativa padronização nos conteúdos cobrados nas diversas regiões e existe uma tendência a incluir determinadas disciplinas que antes não constavam daqueles editais. Dessa forma, é mais provável que um edital para cargos no Tribunal de Justiça se assemelhe mais a um edital recente de outra região do que a um antigo da mesma região. O mesmo tem acontecido em concursos da área policial.

Depois de estudada a teoria das matérias básicas, é essencial resolver provas anteriores de cada disciplina, principalmente da mesma área (os assuntos mais cobrados costumam ser diferentes) e para o mesmo nível de escolaridade. Isso ajuda o candidato a perceber como está realmente o conhecimento, e o que precisa ser reforçado. Também permite ao candidato conhecer como a teoria é cobrada nas questões de prova.

Temos três situações concretas em relação aos concursos (antes disso são apenas rumores e declarações de autoridades):

Autorização solicitada             
Não é possível prever se ou quando o concurso será autorizado. É apenas a informação de que existem vagas e a administração pública tem interesse no preenchimento das mesmas.

Autorização concedida            
Nesse momento o candidato interessado naquele concurso deve iniciar uma preparação mais focada e específica, com base em editais anteriores, já que o tempo para a publicação do novo edital começa a correr.

Para concursos do poder executivo federal (sujeito ao Decreto 6.944/09), o prazo para publicação do edital é de até 6 meses após a autorização, que pode ser verificada na página do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão no link “concursos/concursos autorizados”.

Para o executivo estadual e municipal, a informação deve estar na página do respectivo governo, ou na secretaria de planejamento.

Para os poderes judiciário e legislativo, nas respectivas páginas.

Infelizmente, nem sempre é muito fácil encontrar as notícias oficiais sobre o andamento de concursos antes da publicação do edital, e a mídia especializada supre essa lacuna, além de concentrar todas as informações em um só local. É o caso das nossas tabelas na aba “concursos e oportunidades”.

Edital publicado              
É hora de checar as disciplinas que fazem parte do conteúdo programático e os assuntos cobrados em cada uma. Quem estudou antecipadamente deverá fazer os ajustes, incluindo ou eliminando algum tópico e seguindo na manutenção do que já vinha estudando. Se houver conteúdos novos, deverão ser priorizados.

Resolver provas anteriores – agora da banca responsável pelo concurso – é essencial para o candidato se familiarizar com o estilo de prova que deverá enfrentar.

Com todos esses cuidados, certamente esse candidato estará destacado da massa de concorrentes e não precisará se preocupar com a relação candidato/vaga. Enquanto isso, os outros precisarão usar o tempo entre o edital e a prova para estudar todas as disciplinas.

 

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS