COMENTÁRIOS À PROVA DE NOÇÕES DE ECONOMIA - APF 2012 - Portal de notícias CERS

COMENTÁRIOS À PROVA DE NOÇÕES DE ECONOMIA – APF 2012

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Professor Carlos Silva.

Caros amigos,

Seguem meus comentários às questões de Noções de Economia constantes na Prova de APF 2012, realizada no último dia 06/05/2012. Vislumbro a possibilidade de recurso apenas para a questão 74, com alteração do gabarito oficial.

Sorte para todos.

Carlos Silva.

68. Uma política monetária restritiva só será eficaz mediante o controle da criação de moeda pelas autoridades monetárias.

Comentário: Uma maior ou menor eficácia da política monetária será observada por meio do comportamento da elasticidade da demanda de moeda em função da renda e da elasticidade da demanda de moeda em função taxa de juros da economia. Será mais eficaz a política monetária quanto maior for a elasticidade da demanda de moeda em função da renda e quanto menor for em função da taxa de juros. Essas situações tornam a curva LM mais inclinada, portanto mais eficaz nas repostas de expansão ou retração. Essa avaliação não tem relação com o poder de criação ou destruição de moeda dos bancos ou com a atividade de emissão de moeda na economia. É bom lembrar que a curva LM é traçada para uma dada oferta monetária, que, no modelo IS-LM, é considerada como uma variável exógena.

Assertiva ERRADA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: ERRADA

69. Uma política fiscal que vise ao fomento do crescimento econômico e à geração de empregos deve contemplar medidas de redução dos gastos públicos e elevação da carga tributária.

Comentário: Fomentar crescimento econômico por meio de uma política fiscal é aplicar uma política fiscal expansionista. Para ser considerada como tal, deverá promover aquecimento da demanda agregada da economia. Esse aquecimento poderá ser observado por meio do deslocamento da curva IS para a direita (modelo IS-LM). Para se deslocar a IS para a direita, o governo pode aumentar gastos governamentais (G) ou reduzir tributação (T).

Assertiva ERRADA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: ERRADA.

70. As necessidades de financiamento do setor público, no conceito operacional, são calculadas acrescendo-se ao déficit primário os juros reais da dívida passada.

Comentário: Essa questão é bem simples, abordando aspecto puramente conceitual. NFSP Nominal é o resultado quando fazemos receitas totais menos as despesas totais. A NFSP Operacional será a NFSP Nominal, excluída a atualização monetária. A NFSP Primária será a NFSP Nominal, excluídos os juros nominais (juros reais somados à atualização monetária). Dessa forma, a NFSP Operacional pode ser definida como a NFSP Primária somada aos juros reais.

Assertiva CORRETA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: CORRETA.

71. Os governos exercem função alocativa para corrigir a alocação de recursos utilizados na produção de bens geradores de externalidades negativas; na presença de externalidades positivas, a intervenção governamental é desnecessária.

Comentário: A função alocativa dos governos o coloca em situação de intervenção na economia para salvaguardar o bem-estar econômico na economia quando existirem condições especiais de demanda dos bens e serviços (caso dos bens públicos, por exemplo), na ocorrência de externalidades positivas (benefícios externos) ou negativas (custos externos) e na ocorrência de outras falhas de mercado. Em presença de externalidades, os preços de mercado não refletem, de forma adequada, o problema da escolha em condições de escassez que permeia a questão econômica. O governo, assim, faz intervenção de forma a restaurar as condições de eficiência no sentido de Pareto.

Fácil é compreender a externalidade negativa, como quando o governo atua contra uma empresa poluidora do meio ambiente, para que outros agentes econômicos não sejam prejudicados. Para o caso da externalidade positiva, podemos usar o exemplo da educação. Ela gera externalidades positivas porque os membros de uma sociedade e, não somente aqueles que estão diretamente debruçados sobre a educação, auferem os diversos benefícios gerados pela existência de uma população mais educada e que não são contabilizados pelo mercado. Melhor nível de saúde, redução de mortalidade infantil, redução da criminalidade, dentre outros benefícios indiretos, por não serem apreçados, não são computados nos benefícios privados. Portanto, os benefícios sociais são superiores aos benefícios privados, que incluem apenas as vantagens pessoais da educação, como por exemplo, os salários obtidos em função do nível de escolaridade, impondo ao governo situação de necessidade de intervenção para correção dessas distorções de equilíbrio.

Assertiva ERRADA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: ERRADA

72. O financiamento do déficit público por meio da venda de títulos da dívida pública tende a gerar pressão inflacionária.

Comentário: a venda de títulos permite ao governo retirar moeda da economia. Esse movimento de retirada de moeda da economia faz com que a quantidade de moeda da economia seja reduzida, caindo, assim, o movimento de consumo agregado. A retração do consumo é um ato para conter a inflação e não um ato gerador de inflação.

Assertiva ERRADA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: ERRADA.

73. No final do século passado, apesar de o Brasil ter apresentado constantes superávits primários, ele não necessariamente pagou os juros da dívida pública acumulada em períodos anteriores.

Comentário: dados constantes nos Boletins Anuais do Banco Central do Brasil, onde se observa certa estabilidade para o nível do estoque da dívida pública no período citado.

Assertiva CORRETA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: CORRETA.

74. A inflação de demanda resultante do aumento da renda dos cidadãos foi uma das principais causas do fracasso dos planos econômicos adotados no Brasil nos anos 80 do século XX.

Comentário: Dois pontos são relevantes a serem abordados na assertiva. O primeiro deles quando aponta o fenômeno da inflação com tendo sido caracterizado no período da década de 80 como tendo sido causado principalmente pelo excesso de demanda. A causa da inflação caracterizadora da década de 80 no Brasil foi a concebida pela Teoria Inercialista, com contribuições, em alguns momentos, da causa associada ao excesso de demanda. A inflação de demanda é produzida toda vez que os estoques monetários reais dos agentes econômicos (salários e todo tipo de renda) aumentam sem um acompanhamento da produção total da economia medida pelo PIB. O que significa dizer que um aumento do poder aquisitivo dos agentes econômicos se traduzirá num deslocamento da curva de demanda agregada, elevando os preços. Nesse período, o Brasil se revezou na aplicação de políticas heterodoxas e ortodoxas no combate à inflação da década de 80. Congelamentos de preços e de salários caracterizaram esses anos, com indiscutível redução da renda dos cidadãos brasileiros, o que implica não ter sido a inflação de demanda predominante e marcante como causa principal da inflação. O que se viu no Brasil foi uma grande redução do poder de compra da moeda, com alguns eventos de aumento, que não podem ser apontados com principais causas do fracasso dos planos econômicos de estabilização dos anos 80.

O segundo ponto é o que diz respeito à renda dos cidadãos. Não se pode falar em aumento da renda dos cidadãos como uma característica da década. A renda por habitante entre 1973 e 1980 cresceu 52,7% e em 1990 era menor do que no começo da década. Essa redução da taxa de crescimento da economia brasileira para uma média praticamente constante ao crescimento da população durante a década, quando a sua taxa histórica de crescimento tinha sido de aproximadamente 7% ao ano desde os anos 40, não pode ser considerada acidental e está intimamente ligada à queda do investimento no país. Esta taxa que tinha sido de 23% em média nos anos 70, baixou para 17,4% a partir de 19813. A crise brasileira configurava-se como uma crise estrutural, cujos sintomas básicos são a estagnação da renda por habitante e a drástica redução da poupança e investimento do país.

Logo, a assertiva está incorreta, não podendo ser mantido o gabarito oficial da banca examinadora.

1. Economia Brasileira Contemporânea. 7ª edição. Editora Atlas.

2. ANTÓNIO JORGE FERNANDES, CASSIANO PAIS. A Economia Brasileira na Década de 80: consequências da crise da dívida externa, inflação e crise do Estado.

Assertiva ERRADA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: CORRETA.

75. O superávit primário de uma economia corresponde à poupança gerada pelo governo para o pagamento dos juros da dívida pública.

Comentário: O superávit primário indicará se os níveis de gastos orçamentários dos entes federativos são compatíveis com sua arrecadação, ou seja, se as receitas não-financeiras são capazes de suportar as despesas não-financeiras. É com esse saldo que o governo faz frente para pagamento das despesas financeiras do estoque da dívida, além, é claro, para amortização do principal, quando o volume do superávit primário assim permitir.
]
Assertiva CORRETA.
Gabarito preliminar da banca examinadora: CORRETA.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS