CERS oferece preparação para Auditor Fiscal do Trabalho - AFT - Portal de notícias CERS

CERS oferece preparação para Auditor Fiscal do Trabalho – AFT

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Por Joffre Melo

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou o tão esperado edital de abertura do concurso para auditor-fiscal do trabalho (AFT). Serão disponibilizadas 100 vagas. Para concorrer, é preciso ter graduação reconhecida pelo MEC, em qualquer área. A remuneração do posto é de R$ 14.280 para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais. O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) é a banca organizadora.

O CERS Cursos Online preparou um projeto especialmente planejado para essa seleção: AFT (AUDITOR FISCAL DO TRABALHO 2013) – PROJETO UTI – REVISÃO DOS PRINCIPAIS PONTOS DO EDITAL POR MEIO DA RESOLUÇÃO DE QUESTÕES ESTILO CESPE/UNB.

Clique aqui e compre agora.

Nesse curso, o CERS escala uma equipe de professores experientes em concursos para a área fiscal a fim de revisar, por meio da resolução de questões do CESPE/UNB, os principais pontos do edital. O objetivo é traçar um perfil de como tais conteúdos provavelmente serão exigidos na prova.

Os professores partirão da questão para o comentário teórico, solidificando o conhecimento para todos os alunos. Esse curso dará o conhecimento e a confiança necessária para que o candidato resolva toda a prova com rapidez e segurança.

Interessados poderão se inscrever de 8 a 29 de julho, pelo site da banca – www.cespe.unb.br/concursos/mte_2013. A taxa custa R$ 130. Do total de oportunidades, cinco são reservadas às pessoas com deficiência.

A seleção se dará mediante provas objetivas e discursivas, de caráter eliminatório e classificatório, no dia 8 de setembro. Haverá ainda sindicância de vida pregressa, de caráter apenas eliminatório. Segundo o edital, as etapas serão realizadas em todas as 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal.

 

Após a homologação do resultado final do concurso, a lotação dos aprovados será divulgada em ato do MTE, mediante levantamento das unidades prioritárias, podendo recair sobre as Gerências Regionais do Trabalho e Emprego (GRTE) ou sede das Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS