Carreira Policial: muito além de apenas estudar - Portal de notícias CERS

Carreira Policial: muito além de apenas estudar

Ana Laranjeira
Por:
Atualizado em 26/01/2018 - 17:32

Ser aprovado em um bom concurso público começa por estudar e estudar MUITO. Mas vale lembrar que o estudo, a preparação teórica, é apenas um componente de um vasto arcabouço planejado para sua carreira. Certos concursos, entretanto, vão além de só estudar e dedicar horas do seu dia a leitura e interpretação de textos ou leis. Hoje, falaremos de um bom exemplo disto. Carreira Policial: muito além de apenas estudar

Preparação Física

Os concursos de Polícia, além da prova teórica, exige ainda um tremendo esforço por parte do candidato. Nestas seleções, existem os rigorosos testes de aptidão física. O temido TAF. Quem sonha em se Delegado ou agente, seja da polícia civil ou federal, tem de encarar esse obstáculo. Tem também os concursos para a Polícia Militar e Rodoviária Federal, cuja aprovação depende da superação do TAF.

Aproveite para conferir tudo sobre concursos para delegado da polícia civil aqui!!!

Levar jeito

Outro ponto que o concurseiro precisa atentar, por exemplo, é se ele leva jeito pra coisa. Ser um servidor de Tribunal, por exemplo, requer um trabalho mais burocrático e interno. Nada que lhe traga riscos iminentes. Agora, se você for prestar concurso para carreira policial, aí o bicho pega. Saiba que você poderá correr risco de morte, vai ter de manusear armamentos perigosos e enfrentar situações de combate ao crime. Te gente que desiste. “Fui aprovado em um concurso para agente da Polícia Federal. Logo após o curso de formação, fui enviado para uma delegacia no interior do Pará. Lá, passei uma situação muito perigosa em um tiroteio com madeireiros ilegais. Um mês depois, pedi para sair”, comenta Leonardo Maurim, hoje servidor concursado do MPSP.

Longe da civilização

Concurso para carreira policial também pode levar o aprovado a exercer suas funções nos locais mais incertos e longínquos do Brasil. “Meu primeiro local de trabalho foi um posto avançado na fronteira com a Venezuela. Foi um tempo duro. Dois anos longe da família e de minha cidade natal”, pontua o delegado federal Wilson Damásio. Para superar essa dificuldade, o apoio da família é fundamental. “Eu era recém casado e minha esposa quase pedia o divorcio. Mas graças a Deus ela me apoiou e deu tudo certo”, finaliza Damásio.

 

COMENTÁRIOS