Candidatos pedem investigação de plágio no concurso do Senado - Portal de notícias CERS

Candidatos pedem investigação de plágio no concurso do Senado

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Postado por Ana Laranjeira      
Fonte: G1

Candidatos à vaga de analista em fisioterapia do concurso do Senado Federal, realizado no último domingo (11), entregaram na terça-feira (13) representação no Ministério Público Federal pedindo a investigação de suposta cópia de questões de outras bancas na seleção. As provas do concurso do Senado foram elaboradas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

De acordo com a representação, 31 das 80 questões da prova do Senado para o cargo de fisioterapeuta são idênticas a perguntas e opções de resposta de concursos de outras organizadoras.

As questões, segundo indicado pela denúncia, teriam sido copiadas de seleções dos anos de 2007, 2008 e 2009, para cargos de fisioterapeuta nas prefeituras de Timom (MA), Vitória (ES), Umbaúba (SE), Coronel Fabriciano (MG), Balneário de Camburiú, Bom Jardim (PE), Olinda (PE), Cristais (MG) e Abreu e Lima (PE).

Haveria ainda questões dos concursos para a Eletronorte, para a Polícia Civil do Pará e Secretaria de Estado de Saúde de Santa Catarina. Pela denúncia, questões teriam sido copiadas de provas de dez organizadoras, entre elas o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe), que informou que não irá se pronunciar sobre o assunto.

Além dos problemas indicados com a prova para o cargo de fisioterapeuta, candidatos que concorreram ao cargo de analista com especialidade em urologia teriam indicado que questões da prova deles também teriam sido plagiadas de outras seleções.

Em nota, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que “os problemas surgidos [com o concurso] têm sido imediatamente enfrentados com medidas cabíveis adotadas.”

O Ministério Público informou que, desde a publicação do edital, em 22 de dezembro, até esta quinta-feira (15), nove representações com pedidos de investigação de supostas irregularidades foram autuadas na Procuradoria da República do DF. Desse total, três casos já foram arquivados por ausência de elementos para caracterizar supostas ilegalidades.

Em dois casos, o Ministério Público Federal no DF abriu procedimentos investigatórios, ainda em fase inicial: suposta irregularidade quanto à inscrição para o certame de uma servidora do Senado Federal, integrante da Comissão de Concurso; e suposta dispensa irregular de licitação por parte do Senado Federal para a contratação da Fundação Getúlio Vargas – FGV, com o objetivo de realizar o concurso público.

Cancelamento de provas 
Provas de três especialidades para o concurso do Senado foram canceladas no início da semana por causa de “inconsistências técnicas (insuficiência de cadernos de provas em algumas salas)”.

Terão de refazer os testes os candidatos aos cargos de cargo de analista de suporte de sistemas (3 vagas), análise de sistemas (7 vagas) e enfermagem (5 vagas).

Veja íntegra da nota da FGV     
“O concurso do Senado Federal, realizado no último domingo, foi dos mais concorridos da história. A Fundação Getulio Vargas destacou um aparato técnico e logístico que permitiu que mais de 157.000 candidatos fizessem as provas nas 27 capitais brasileiras. Os problemas surgidos têm sido imediatamente enfrentados com medidas cabíveis adotadas.

Os questionamentos sobre existência de perguntas já constantes em concursos anteriores, no que se refere às provas de Fisioterapia e Urologia, que abrigaram, juntas, pouco mais de 0,5% dos candidatos inscritos, serão apurados com o rigor que sempre norteou a trajetória de quase 70 anos de bons serviços prestados pela FGV ao Brasil.”

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS