Área fiscal: não se deixe levar pelos números - Portal de notícias CERS

Área fiscal: não se deixe levar pelos números

Não dê ouvidos a comentários pessimistas e pense racionalmente para chegar mais perto da aprovação

Ana Laranjeira
Por:
Atualizado em 11/01/2016 - 15:48
fiscal-960x3502

Por Alan Martins

Numa paráfrase bem rudimentar, pode-se dizer que em terra de concurso para a área fiscal quem não escuta é rei.

Há uma fábula que fala de uma corrida de centenas de sapos até o topo de uma montanha, em que a platéia, pessimista, gritava para avisar os sapos que eles não iriam conseguir. De fato, durante o percurso, todos os sapos caíram e não chegaram ao final da corrida, exceto um deles, que foi o vencedor. Esse sapo era surdo e não podia escutar as manifestações de pessimismo da platéia.

Assim, recomendo que você faça o mesmo ao se preparar para os concursos da área fiscal. Não dê ouvidos para comentários tais como: “Concursos para área fiscal são muito difíceis. Por exemplo, no último concurso para Auditor-Fiscal da Receita Federal foram 65.000 candidatos inscritos. Com tanta concorrência, só gabaritando para ter chances”.  Ou então: “Fiscal do ICMS do Estado Pernambuco: quase 360 candidatos por vaga. Só louco para se inscrever nisso”.

Faça como o sapinho vitorioso. Não dê ouvidos para esses comentários pessimistas e pense racionalmente comigo diante de alguns números que vou mostrar aqui e, também, nos próximos artigo desta série, que serão publicados nas próximas semanas.

Primeiro, veja a seguinte tabela:

cers-fiscal-tabela

 

 

 

 

Análise

Analisando-se a tabela, logo de cara você vai perceber que o concurso com a maior relação candidato/vaga (Auditor-Fiscal do Trabalho – AFT), foi aquele com menor percentual necessário à aprovação (76,06% para o 1º colado e 59,83% para o último aprovado). Veja, também, que o concurso para o ICMS/SP, foi o menos concorrido (baixa concorrência anormal para esse cargo, mas em 2013 decorreu do elevado número de vagas ofertado: 885). Só que nem por ser o menos concorrido, foi o que teve o maior ou o menor percentual necessário à aprovação.

Aí você pode pensar que o detalhe está no maior ou menor número de vagas, pois, para o ICMS/PE foram apenas 26 vagas e o maior percentual para aprovação (85,83% para o 1º colado e 78,75% para o último aprovado). Porém, a tese cai por terra quando se verifica que, para Auditor-Fiscal da Receita Federal, tivemos o maior número de inscritos, mas não tivemos nem o maior nem o menor percentual necessário à aprovação.

Como se vê, o número de candidatos por vaga ou a quantidade de inscrito são fatores com os quais você não deve se preocupar, pois não guardam nenhuma relação com o percentual necessário para aprovação.

Portanto, está mais do que provado que, nos concursos para a área fiscal, você não deve se deixar levar pelos números. Esqueça esses detalhes de candidatos/vaga ou quantidade de inscritos. Faça seu planejamento de estudos, assista às aulas online, mergulhe nos livros, resolva exercícios, respire os estudos, seja confiante, mantenha a calma e a concentração. Eis a verdadeira receita do sucesso.

Se quiser, confira o artigo inaugural desta série (Auditor Fisal de Tributos: uma preparação e muitas oportunidades). E, nas próximas semanas, não deixe de nos acompanhar, pois vamos continuar analisando números, que vão nos dizer muito mais sobre porque não devemos dar ouvidos à plateia e, também, o motivo pelo qual as carreiras fiscais são mesmo uma grande oportunidade.

 

Você pode se interessar por:

Auditor Fiscal de Tributos: uma preparação e muitas oportunidades

*Acompahe mais matérias da série 10 Passos para Área Fiscal com #euquerofiscal no facebook do CERS (/complexorenatosaraiva)

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS