Aposentadoria não é uma conquista - Portal de notícias CERS

Aposentadoria não é uma conquista

Por:
Atualizado em 20/10/2016 - 14:41

Se perguntarmos a dez trabalhadores o que eles esperam colher como resultado de décadas de trabalho, dez responderão que buscam uma aposentadoria segura. A resposta de muitos empresários e empreendedores será a mesma.

Se perguntarmos a eles o que é uma aposentadoria segura e o que fazem para alcançá-la, não há consenso nem objetividade nas respostas. Reconheçamos: aposentar-se é o resultado de uma trajetória frustrante, em que nos esforçamos menos do que precisamos e sofremos com a certeza de que alcançaremos algo menor do que gostaríamos. Não há sentimento de realização ou felicidade nem no plantio nem na colheita.
Quem já passou por isso entende o que é deixar para trás a perspectiva de crescimento, a estabilidade na rotina produtiva, o senso de construção e o exercício da vocação. Quem se dedicou à carreira pública ou militar em busca de estabilidade descobre, na aposentadoria, que o avançar da idade exige uma renda sempre crescente, inviável para quem escolheu seguir o roteiro-padrão para se aposentar. Se a intenção é continuar trabalhando, a aposentadoria limita as opções.

Há quem defina a aposentadoria como a grande conquista após muitos anos de trabalho. Mas como chamar de conquista algo de que não nos orgulhamos? Em vez de conquista, chamemos de resultado. Aposentadoria é o resultado insatisfatório de um projeto mal elaborado que seguimos simplesmente porque esse é o padrão vigente.

Que tal experimentar sair do padrão? Em vez de se preparar para parar de trabalhar, prepare-se para continuar trabalhando ou para assumir um trabalho mais gratificante na terceira idade. Quem não vê a hora de parar é porque tem um estilo de vida pouco estimulante.

A mudança começa pela adoção de uma rotina mais simples, mas com mais gastos com lazer e cultura. Vivendo melhor, teremos menos urgência pela aposentadoria. Tire o foco de parar de trabalhar e prepare-se para um trabalho novo, uma empreitada investidora ou um negócio próprio. Se planejado ao longo de 30 anos de carreira, as chances de sucesso de um projeto empreendedor são grandes. Se iniciado sob a pressão da necessidade, as chances se invertem. Importante: poupar é preciso, mas não em excesso. A reserva financeira a consumir para manter a vida é bem maior do que a reserva financeira necessária para iniciar um negócio que nos sustente.

Proponho a quebra de paradigma: gaste melhor seu dinheiro, aproveite planos de previdência para acumular recursos previsíveis, estude para trabalhar para si. E não veja a aposentadoria como um fim, mas como o começo da fase mais importante de sua riqueza.

Fonte: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/gustavo-cerbasi/noticia/2014/09/aposentadoria-bnao-e-uma-conquistab.html

 

Gustavo Cerbasi é Mestre em Administração/Finanças pela FEA/USP, formado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com especialização em Finanças pela Stern School of Business – New York University e pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Foi eleito pela revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS