Analista Judiciário, Administrativo ou Ministerial? - Portal de notícias CERS

Analista Judiciário, Administrativo ou Ministerial?

Descubra as principais características destes cargos.

Por:
Atualizado em 21/06/2019 - 12:00

A área de tribunais possui uma gama enorme de oportunidades. Quem opta por essa carreira pode enveredar por concursos em âmbito federal ou estadual. Ademais, há possibilidades para candidatos de nível médio e superior, em várias áreas de formação.

Quem se prepara para o cargo de Analista, após edificar os conhecimentos nas disciplinas comuns aos certames, pode tentar concursos nos Tribunais Regionais do Trabalho (TRTs), Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), Tribunais Regionais Federais (TRFs) e nos Tribunais de Justiça dos estados.

É requisito para o provimento dos cargos de Analista, graduação em curso superior. Já para os cargos de Técnico, é exigido apenas nível médio. Há alguns certames que ofertam vagas para Técnicos especializados, que ainda exigem a conclusão de cursos determinados ou o porte de CNH.

Dentre as vagas para Analista, há ainda a possibilidade de candidatar-se à Área Judiciária, Administrativa e Ministerial. A primeira hipótese é restrita a bacharéis em direito. A área Administrativa é aberta a qualquer área de formação. Por fim, o Analista Ministerial pode ser, dentre outras, da área Jurídica, de Auditoria, Biblioteconomia e até Medicina.

Pois bem. Você sabe das características de cada espécie de Analista? No nosso curso gratuito de cargos e carreiras são apresentados todos os detalhes de cada uma. Mas, agora, vamos descobrir as principais semelhanças e diferenças entre os Analistas Judiciário, Administrativo e Ministerial.

Desempenho das Funções

As atribuições do Analista Judiciário – Área Administrativa são, basicamente, relacionadas à administração do próprio órgão e de suas varas. Esses servidores executam funções ligadas à burocracia administrativa do órgão ou setor, e do seu funcionamento diário.

É válido ressaltar que as atribuições variam de Tribunal para Tribunal. Assim sendo, esses servidores podem ser responsáveis por trabalhos especializados ou assessoria, a depender do desempenho de suas funções.

Quanto à possibilidade de lidar com assessoria ao Magistratura, essa função pode ser atribuída a Analistas Judiciários, Administrativos e até aos Técnicos. Isso vai variar de Tribunal para Tribunal. Em alguns, o cargo de assessor é comissionado, em outros é destinado apenas a servidores da carreira, sendo uma função de confiança.

As funções dos Analistas estão relacionadas ao estudo de processos e elaboração de decisões, elaboração de relatórios e peças jurídicas, resposta a habeas corpus, captação de subsídios, seja jurisprudência ou doutrina, para os pronunciamentos do Magistrado ou Promotor, colaboração na regularidade do cumprimento dos atos processuais, como a observância dos prazos e tomada das providências cabíveis, se necessário, dentre outras.

Concurso para ingresso na carreira

Há uma espinha dorsal de disciplinas que comumente são exigidas nos certames para o provimento de cargos de Analista. E quais são as matérias comuns aos editais, em regra?

Conteúdos Comuns

– Língua Portuguesa;

– Direitos das Pessoas com Deficiência;

– Noções de Sustentabilidade;

– Direito Penal;

– Direito Processual Penal;

– Direito Civil;

– Direito Processual Civil;

– Direito Constitucional; e

– Direito Administrativo.

Quanto à informática e raciocínio lógico, atualmente, a depender do edital, não há a exigência de tais disciplinas. Da mesma forma, alguns certames incluem no conteúdo programático Direito Previdenciário e Direito Tributário. Ressalte-se, que nos casos do TRE e TRT, são cobrados, também, Direito Eleitoral e Direito do Trabalho e Processual do Trabalho, respectivamente.

Há ainda a necessidade de estudar os Regimentos Internos de cada Tribunal que, porventura, venha a prestar concurso. Sendo assim, é de fundamental importância atentar-se às especificidades de cada edital.

Carga horária

Via de regra, os Tribunais demandam uma jornada de 6 horas diárias. Mas, a depender do Tribunal, são 8 horas ao dia. Há ainda alguns órgão em que é possível realizar teletrabalho, o que não é regulamentado em todos os Tribunais.

Subsídios

Os servidores do Poder Judiciário estão dentre os melhores remunerados do mercado de trabalho. Some-se a isso, os excelentes planos de cargos e carreiras que esses órgãos possuem. A remuneração dos Analistas é de aproximadamente R$6000,00. Há ainda a possibilidade do percebimento de gratificações e adicionais.

Ficou claro que a carreira do Analista é muito promissora. Se você almeja esse cargo, não espere para iniciar seus estudos. Uma preparação consistente é garantia de aprovação. Pensando nisso, o CERS acaba de lançar o CERS Play, um sistema de assinaturas com preparatórios para provas de vários órgãos públicos. Pagando um valor fixo por mês, você tem acesso a todos os cursos para a área de Tribunais, inclusive os preparatórios específicos que serão lançados após a publicação dos editais mais esperados. Você quer conquistar sua vaga e mudar de vida? Então, clique aqui e vamos evoluir juntos!

 

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS