A era dos E-books - Portal de notícias CERS

A era dos E-books

Por:
Atualizado em 18/08/2014 - 01:04

Os livros digitais oferecem ferramentas cada vez mais interativas que conquistam a preferência do público e estimulam o hábito da leitura

Por Ana Laranjeira

Você, caro leitor, pode conhecer alguém que ainda faça parte de um grupo de leitores que resiste em abrir mão do cheirinho das páginas de um livro novo, impresso em gráfica. Porém, cada vez mais pessoas descobrem que folhear um livro digital pode oferecer prazeres surpreendentes. Se você folheia agora esta revista consegue entender um pouco desta experiência.

Os famosos e-books podem ser lidos em computadores, celulares, tablets ou mesmo em equipamentos específicos para leitura de livros digitais. Links, abas, botões, animações e outras ferramentas interativas tornam as publicações atraentes mesmo para as crianças. Com a facilidade, cada vez mais real, de acesso aos meios eletrônicos, uma parcela crescente de consumidores vem aderindo a essa nova realidade, que já faz parte do dia a dia de muita gente.    

Baixo custo      
Um fator importante que dá vantagem aos e-books sobre os livros físicos é o baixo custo de criação e armazenamento da ferramenta. Enquanto as publicações convencionais precisam ser impressas e transportadas até o consumidor, os livros digitais ficam disponíveis em aplicativos, bibliotecas virtuais ou para download. Isso pode reduzir em até 80% o valor final do livro e, claro, fazer a alegria dos leitores que antes despendiam altos valores para adquirir uma publicação.

Portabilidade   
Depois de instalados, os e-books podem acompanhar o leitor a qualquer lugar, já que estarão salvos ou armazenados em equipamentos eletrônicos portáteis, na maioria das vezes. Além disso, o formato digital permite o acesso rápido via internet, de qualquer ambiente que disponibilize a rede.

Interatividade 
Vídeos, animações, arquivos de áudio, trilha sonora, leitura simultânea, textos complementares, anexos e outras muitas ferramentas podem ser inseridas em um e-book. Além de conferir dinamicidade ao conteúdo, esses novos instrumentos possibilitam a expressão completa de uma ideia. Para o leitor, isso significa a absorção do conteúdo com maior facilidade e profundidade.

Conhecimento sem barreiras   
As publicações digitais permitem que autores de diversas nacionalidades sejam lidos em várias partes do mundo, a partir do primeiro momento em que o livro é publicado. Não existe distância de tempo ou espaço entre o leitor e o autor. Isso facilita a sonhada democratização do conhecimento, pois é possível que um leitor brasileiro tenha acesso às mesmas informações e conteúdo que um leitor japonês ou americano, por exemplo, no mesmo período de tempo. 

Crescimento    
Segundos pesquisas da Câmara Brasileira do Livro (CBL), o mercado de livros digitais cresceu mais de 350% de 2011 para 2012. Nos Estados Unidos, e em vários países da Europa, mais de 50% dos livros de ficção são digitais.

A facilidade em obter um livro digital é tão grande que, para se ter uma ideia,  o Google Play tem, no Brasil, 5 milhões de livros disponíveis para venda e download gratuito, das principais editoras brasileiras. Na Apple Store, também estão disponíveis mais de 1,5 milhão publicações.

A tendência de digitalização dos livros fez subir ainda, em nove anos, de 500 para 171.311 o número de obras disponíveis no Portal Domínio Público, do Ministério da Educação (MEC). O Portal tem uma média mensal de 400 mil acessos. Entre os recordistas de downloads estão a Divina Comédia, de Dante Aliguieri, com mais de 2 milhões de downloads, Angola e as Novas Tecnologias de Informação, de Victor Natanael Narciso, com 1,8 milhão de acessos, seguido de Poemas, de Fernando Pessoa, com 831 mil downloads, e Romeu e Julieta, de William Shakespeare, que foi acessado por 546 mil pessoas.

 

Imediatismo   
Os e-books têm acelerado a produção de conteúdo didático e paradidático no país, fazendo com que os autores trabalhem o dobro do que antigamente. Antes, um lançamento por ano era satisfatório, do contrário o mercado ficaria saturado com mais obras. Na cultura atual, produzir e lançar muitas obras é extremamente necessário para satisfazer o novo perfil de leitor, impaciente e acostumado com a rapidez de conseguir produtos em apenas um ‘click’.

Tags relacionadas:

COMENTÁRIOS